Jornalista Vera Guimarães Martins destaca publicações do jornal ao longo da semana que dão destaque a "negociações prévias de delação" premiada, como foi o caso de Nestor Cerveró, que citou Dilma e Lula no resumo das informações, mas mudou a versão no documento final, homologado pelo STF; "É uma mostra do quão movediço é o terreno pré-delação", observa Vera

Brasil 247

A jornalista Vera Guimarães Martins, ombudsman da Folha de S. Paulo, analisa neste domingo 17 os títulos e reportagens publicados pelo jornal ao longo da semana que dão destaque a "negociações prévias de delação" premiada no âmbito da Operação Lava Jato.

Ela menciona a "vagueza" no depoimento do ex-deputado Pedro Corrêa, que "tenta há seis meses, sem sucesso, fechar um acordo de delação premiada", conforme observa. E o de Nestor Cerveró, que citou Dilma e Lula no resumo das informações, mas mudou a versão no documento final, homologado pelo STF. "É uma mostra do quão movediço é o terreno pré-delação", observa a colunista.

Em outro caso, ela avalia ainda que houve uma "conclusão indevida" do jornal ao "ignorar" a informação de que o doleiro Alberto Youssef não reconheceu, em acareação, o ex-assessor da Casa Civil Charles Capella, que teria recebido R$ 2 milhões em propina para a campanha da presidente Dilma Rousseff em 2010.

A Folha publicou, por outro lado, que o lobista Fernando Baiano identificou Capella como "o interlocutor" que estava em uma casa em Brasília onde ele se reuniu para acertar o repasse. "No parágrafo seguinte, porém, Baiano diz que Capella não participou da reunião –ou seja, não "interlocutou" coisíssima alguma", escreve Vera.

Ao criticar o título da reportagem – "Lobista reconhece assessor de Palocci que teria recebido R$ 2 mi" – a ombudsman opina: "Meu ponto não são versões conflitantes, mas a conclusão indevida: o título uniu o que a acareação separou".

Leia aqui a íntegra.

2 comentários:

JORGE VINICIO SANTOS GONZALEZ disse...

ESTIMADOS HERMANOS:
Solicito consagrarme divinamente de mi patología con los Dioses amazonas del Brasil y con los Dioses sambucanos del Brasil por mis calumniadores y por mis secuestradores de las bandas de plagiarios con la defensa de mis clanes aborigenes del mundo y de Guatemala con los correos electrónicos televisivos a tales bandas de raptores de mi colonia para absolverme de exterminarme apologalmente.

Atentamente:
Jorge Vinicio Santos Gonzalez,
Documento de identificacion personal:
1999-01058-0101 Guatemala,
Cédula de Vecindad:
ORDEN: A-1, REGISTRO: 825,466,
Ciudadano de Guatemala de la América Central.

João Luiz Pereira Tavares disse...

Nunca daria meu dinheiro para outro partido, exceto o PT. Meu dinheiro é apenas para minha religião, o PT.

Seja “crowdfunding” pra Nossa deusa baranga Coração Valente© viajar de avião (como no ano passado, 2016, em que eu contribui para Nossa Querida Mãe Coração Valente©, de acordo com o pedido e ordem de Nosso Amado Chefe barbudinho… Apelo feito pela TV).

Sigo o PETISMO e seus dogmas verdadeiros, anti-alienação (a saber: «é gópi, é gópi, é gópi»; «ilegítimo [Temer]»; «midiota»; «LUZ para todos»; «20 milhões na classe média»; «fascista»; «sem crime de responsabilidade»; «casa grande e senzala»; «Pronatec»; «velha mídia»; «coxinha»; ; «mídia hegemônica» [espécie de demoninho ou capetinha muito danoso a minha religião]; «Rede Globo é golpista»; «PiG»; «Estados Unidos, o Império»; «mídia golpista» etc. etc. etc. etc. — esses são todos os nossos sábios dogmas, e OS MEUS!).
Portanto devido a isso EU jamais posso ser alienado. Sou apenas petista, e amo minha baranga deusa Mãe, — Mãe do PAC –, Coração Valente©, criada pelo João, o milionário, o Santana, mais conhecido no meio pelo apelido de O Feira. «O Feira» foi preso pela entidade do Mal, Sérgio MORO (de acordo com minha RELIGIÃO). Se minha religião falou que ele é do Mal, então ele é.

P.S.:
Enfim, meu Amado Chefe é sim ilibado & inocente. Assim tem falado Minha deusa Coração Valente©. Vamos crer em Coração Valente©.