Aécio quer calar o jornal ‘Brasil de Fato’

Altamiro Borges, Blog do Miro

A Folha desta quarta-feira (13) informa – talvez excitada e saudosista dos anos da ditadura militar – que “o senador Aécio Neves, presidente do PSDB, iniciou uma ação na Justiça de São Paulo contra o grupo que edita o site e o semanário ‘Brasil de Fato’, criado em 2003 com o apoio e organização do MST. Os advogados do tucano pedem a reparação por danos morais – a ser definida pelo juiz – com base na acusação de que o jornal ‘manipulou deliberadamente’ informações para associar o tucano a ‘atos criminosos’. A ação foi aberta em outubro do ano passado e questiona reportagem publicada na capa da edição mineira do semanário, em julho de 2015. A manchete do texto diz que ‘Aécio é investigado por desvio de R$ 14 bilhões’”.

A Folha tucana, que adora se fantasiar de defensora da liberdade de expressão, não faz nenhuma crítica ao censor do PSDB. Isto apesar de saber que a citada reportagem teve como base ação civil movida pelo próprio Ministério Público Federal de Minas Gerais. Segundo o órgão, os governos de Aécio Neves (2003-2010) e Antonio Anastasia (2010-2014) fraudaram a contabilidade do Estado, desviando R$ 14 bilhões de recursos que seriam destinados à saúde. Na ocasião, o MPF alegou que “o governo estadual, por 10 anos, entre 2003 e 2012, descumpriu sistematicamente preceitos legais e constitucionais, ‘em total e absurda indiferença ao Estado de Direito’, efetuando manobras contábeis para aparentar o cumprimento da Emenda Constitucional 29” – sobre as verbas do SUS.

O jornal “Brasil de Fato” simplesmente repercutiu a denúncia do Ministério Público Federal – o que não foi feito pela mídia chapa-branca de Minas Gerais e nem pela própria Folha ou outros veículos tucanos. Por isto, o combativo veículo, vinculado às lutas populares, é mais uma vítima da conduta autoritária do censor Aécio Neves. Durante o triste reinado dos tucanos em Minas Gerais, várias foram as ações para calar os jornalistas críticos e para cooptar a mídia venal. A irmã do cambaleante senador, Andrea Neves, ficou famosa por telefonar para as redações tentando censurar matérias ou seduzir os proprietários. Ela também ficou conhecida por repassar verbas de publicidade oficial para as rádios da milionária famiglia Neves.

A tentativa de censura de Aécio Neves – similar às recentes ações do presidente Mauricio Macri contra a liberdade de expressão na Argentina – exige a imediata reação das forças democráticas do país. É urgente denunciar a truculência do grão-tucano e prestar total solidariedade aos combativos construtores do jornal “Brasil de Fato” – um instrumento da luta dos trabalhadores brasileiros."

Nenhum comentário: