O "historiador" tucano no banco dos réus

Altamiro Borges, Blog do Miro


O hidrófobo tucano Marco Antonio Villa, que se traveste de "historiador" na TV Cultura - a emissora pública que virou palanque do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) -, vai ter de explicar as suas calúnias no banco de réus. A Justiça de São Paulo acatou a queixa-crime proposta pelo Instituto Lula contra o falsário. Em julho passado, o histérico comentarista rosnou que o ex-presidente era "chefe de quadrilha", "mentiroso" e "culpado pelo tráfico de influência internacional". Agora, o "valentão" terá que comprovar as suas acusações ou se retratar pelos crimes de "calúnia, injúria e difamação". A TV Cultura, que dá guarita a este leviano irresponsável, também deveria ser acionada na Justiça!

Confira a nota oficial do Instituto Lula sobre o lamentável episódio:
*****

Justiça aceita queixa-crime de Lula contra comentarista da TV Cultura

São Paulo, 1 de dezembro de 2015,

O juiz André Carvalho e Silva de Almeida recebeu a queixa-crime proposta por Luiz Inácio Lula da Silva contra o historiador Marco Antônio Villa, que passou a ser réu na ação. Villa é acusado de cometer os crimes de calúnia, injúria e difamação, após ter feito afirmações mentirosas com o objetivo de atingir a honra do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva na TV Cultura. A decisão, de 25 de novembro, é do juiz André Carvalho e Silva de Almeida, da 30ª vara criminal da Justiça de São Paulo, que recebeu, em setembro deste ano, queixa-crime dos advogados de Lula referente a comentário feito em 20 de julho.

Em 19 de novembro, Lula e Villa compareceram a audiência de conciliação, mas nem o ex-presidente retirou a ação, nem o comentarista da rádio Jovem Pan e da TV Cultura se retratou de suas declarações.

No referido comentário, Villa disse que o ex-presidente “mente, mente”, que é “culpado de tráfico de influência internacional”, além de “réu oculto do mensalão”, “chefe do petrolão”, “chefe da quadrilha” e teria organizado “todos os esquemas de corrupção”. Na ocasião, o historiador fez questão de ressaltar que “quem está dizendo sou eu, Marco Antonio Villa”, embora não tenha apresentado sequer uma evidência das graves acusações que fez.

Nenhum comentário: