Dia da Vergonha faz tetraplégica ficar em pé

Ricardo Kotscho, Balaio do Kotscho

"É nos momentos de crise política aguda que as pessoas se revelam para o bem ou para o mal, oferecendo exemplos extremos de canalhice ou de superação.

Foi o que vimos nesta quinta-feira, 19 de novembro de 2015, o Dia da Vergonha no Congresso Nacional, tendo, de um lado, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, acoelhando-se no papel de homem-bomba para escapar da cassação; de outro, a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), uma senhora tetraplégica que ficou em pé na sua cadeira de rodas para comandar a retirada do plenário.


Graças a uma cadeira tipo ortostática, com reclinação que permite à pessoa deficiente física ficar na posição vertical, algo que muitos políticos já não conseguem, Mara fez um emocionante discurso olhando na cara de Eduardo Cunha, que permaneceu sentado, absolutamente impassível.

Em dois minutos e quatro segundos, como podemos ver no vídeo do Facebook dela encontrado no Google, com voz pausada e firme a deputada detonou a imagem do ex-todo poderoso comandante das tropas da oposição, até outro dia aliado do PSDB, ameaçado de perder o cargo, o mandato e a liberdade, e que agora é defendido pelo PT.

"Convido todos os deputados a deixarem essa sessão, pela ética, pela moral e pelo povo brasileiro que nos trouxe aqui. Levante desta cadeira, Eduardo Cunha!", conclamou Mara Gabrilli, acompanhada na retirada por mais de 100 deputados com vergonha na cara.

Nada resume melhor do que este vídeo tudo o que se viu de degradante e pusilânime no plenário da Câmara dos Deputados, um verdadeiro escárnio, uma afronta ao País, uma séria ameaça às instituições democráticas."

Nenhum comentário: