A paralisação dos caminhoneiros pelo impeachment

Percival Maricato, GGN

Quem não lembra ou não sabe sobre a paralisação dos camionheiros pela derrubada do governo Allende, no Chile, deve ler sobre o que ocorreu. Hoje sabe-se que foram financiados pela CIA americana, a quem nunca interessou governos independentes no continente. O movimento que surge no Brasil parece ter mais objetivos políticos que reivindicatórios, tanto que um tal de comando sem figura jurídica que responda por seus atos, diz que quer o impeachment. Se conseguirem, seria o fim da democracia brasileira. Afinal, porque outras categorias não poderiam fazer pedidos semelhantes, mais à frente?

Esperemos que os opositores pensem na gravidade do momento, em vez de tentarem se aproveitar de ações de grupos golpistas, tão indesejáveis como golpes de partidos ou militares. Os governos, da União e Estados, devem agir com rigor e não é difícil. A placa dos caminhões que lideram esses movimentos deve fica exposta.

A sociedade civil também pode reagir, exigindo das autoridades providências e das empresas proprietárias, ou até caminhoneiros individuais, ressarcimento por danos causados à economia, via ações civis públicas.

Cidadãos idem, podem ajuizar ações de ressarcimento se parados em uma estrada por caminhões atravessados, basta fotografar placas dos caminhões, depois ir em busca do prejuízo. Os nomes do tal comando podem aparecer e deveriam ser chamados com coréus. Diz o Código Civil que todo aquele que causa prejuízo a outrem, de forma ilícita, tem que ressarcí-lo. Não faltaram em outras épocas juízes corajosos, para enfrentarem desmandos e condenar com rigor os que rompem com as normas da legalidade e, mais ainda, da convivência civilizada."

Nenhum comentário: