Fascistas mirins sumiram das ruas?

Altamiro Borges, Blog do Miro

Numa ofensiva quase desesperada pelo impeachment da presidenta Dilma, grupos direitistas - como o Movimento Brasil Livre (MBL), o Vem Pra Rua e o Revoltados Online - realizaram nos últimos dias uma série de manifestações no país. O slogan adotado pelos fascistas mirins foi "Natal sem Dilma". No geral, os protestos foram esvaziados e frustraram os seus organizadores. A própria mídia privada, que sempre deu ampla cobertura aos atos golpistas, sentiu o baque e procurou esconder o fiasco. Até o jornal Estadão observou, ironicamente, que os grupelhos evitaram citar as contas secretas na Suíça de Eduardo Cunha, o presidente da Câmara Federal que deixou os fascistinhas pendurados na brocha!

Segundo o noticiário, as manifestações frustradas tiveram início no sábado (17). Em São Paulo, o ato em frente ao Fórum Federal Pedro Lessa, na Avenida Paulista, reuniu umas 30 pessoas - numa conta generosa do Estadão desmentida por várias fotos. "Eles prenderam laços verde e amarelo em árvores, distribuíram adesivos com a frase 'Eu apoio a Lava Jato' e gritaram palavras de ordem contra o PT". Em Belo Horizonte, segundo relato da Folha, a concentração foi em frente à residência do governador Fernando Pimentel (PT) e reuniu apenas 16 fanáticos dos grupos Patriotas, Brava Gente e Mulheres da Inconfidência. Entre os poucos presentes, alguns fascistas que realizaram um macabro protesto no funeral de José Eduardo Dutra, ex-presidente do PT, e que já foram acionados pela Justiça.
  
Já em Brasília, de acordo com o Jornal do Brasil, "entre 15 e 20 pessoas participaram de ato em apoio ao juiz Sérgio Moro e à Operação Lava Jato, no sábado, em frente à sede da Polícia Federal. O grupo enfeitou a entrada do prédio com balões e faixas". O líder do MBL, Ricardo Honorato, ainda tentou justificar o fiasco. "O que nós temos planejado são muitas ações desse mesmo porte acontecendo em todo o país... Pode até chamar de ato pipoca, porque a gente vai dando umas estouradinhas por ai". A piadinha, porém, não escondeu o temor dos organizadores com o futuro destas ações golpistas.
.
Nas redes sociais, os grupelhos fascistas anunciaram outras 17 manifestações nesta semana. No geral, porém, elas também foram frustrantes. A que reuniu mais gente foi a de São Paulo, na segunda-feira (19). Nas contas sempre generosas da Polícia Militar, cerca de 1.500 pessoas participaram da marcha que saiu da luxuosa Avenida Faria Lima, na zona sul da capital. Entre as "celebridades" presentes, o ator pornô Alexandre Frota, aquele que se jactou de estuprar mulheres e que responde a um processo criminal. "Não sou um artista vendido como o Jô Soares", afirmou ao microfone a figurinha patética. "

Nenhum comentário: