Apreendem o Lamborghini do Collor e não vão apreender o Porsche de Cunha?

Fernando Brito, Tijolaço 

"Algum tempo atrás, o país parou para ver a apreensão do Lamborghinni pertencente ao senador Fernando Collor, registrado em nome de uma de suas empresas, por ser acusado de traficar influência em negócios da Petrobras.

Porque hoje não estamos assistindo a mesma apreensão no Porsche Cayenne do Deputado Eduardo Cunha, registrado também em nome de suas empresas, a Jesus.com e a C3 Produções, na qual é sócio de sua mulher, Cláudia Cruz?

Aliás, poderia ser organizado até um “desfile”, como foi feito com o senador alagoano, já que a “frota” dos Cunha tem mais um Porsche, uma BMW e cinco SUV.

Será que o hipócrita do líder do PSDB, Carlos Sampaio, vai continuar falando em que Cunha deve ficar no cargo pelo “benefício da dúvida”, agora que a viu-se que as contas que ele alega não existirem foram abertas com cópia do passaporte dele, assinatura e seu  endereço residencial?

E a Veja, que já tripudiava sobre seu ex-herói das Alagoas , vai sapatear sobre seu “desaloprador” da República?

Ah, que maravilha o ruir do cinismo…"

Nenhum comentário: