Apesar da blindagem, rejeição a tucanos é “igual” à de #Lula70

Eduardo Guimarães, Blog da Cidadania

"Não resta dúvida de que Lula foi atingido pela extrema queda de popularidade de sua afilhada política. Recente pesquisa Ibope confirma que a crise econômica o rebaixou ao patamar de intenções de voto para presidente que habitam os tucanos José Serra, Aécio Neves e Geraldo Alckmin. Porém, a notícia não é tão ruim para o petista. Na verdade, é até boa.

Quem melhor definiu a situação do ex-presidente foi o colunista do Estadão José Roberto Toledo:

Ninguém tem mais rejeição do que Lula da Silva. Ninguém tem mais eleitores cativos do que Lula da Silva”.
O colunista explica em que esse fenômeno implica:

Pesquisa inédita do Ibope mostra por que o fantasma de um terceiro mandato do ex-presidente continua assombrando a oposição [o colunista, por razões óbvias, não citou a mídia]. As crises política e econômica estão enfraquecendo o petista, mas ninguém está faturando com isso

Muitos preferem destacar um fato que já está “precificado”: Lula foi atingido pelas crises política e econômica. Porém, dado o nível de bombardeio que vem sofrendo, impressiona que ele esteja em pé de igualdade com seus adversários.
Lula fica à frente das intenções de voto quando os entrevistados são perguntados em quem votariam “com certeza”: 23% apontaram o ex-presidente, ante 15% de Aécio e 11% de Marina. Serra tem 8%, Alckmin tem 7%, Ciro, 4%.

Ok, Lula chegou a ter mais de 60% de intenções de voto para presidente, em pesquisas anteriores a junho de 2013. De lá para cá, assim como Dilma ele vem caindo. Porém, a resiliência nesse patamar mostra que ele atingiu seu piso de intenções de voto.

Como a mídia bombardeia Lula 30 dias por mês com acusações e com notícias sobre as armações que visam implicá-lo em investigações com base em suposições e ilações de procuradores partidarizados, esperava-se que ele já estivesse fora de qualquer disputa eleitoral.

Muito pelo contrário. A sondagem do Ibope ainda mostra empate técnico entre Aécio (42%), Lula (41%) e Marina (39%) no potencial de voto — a soma de eleitores que afirmaram votar neles com certeza ou disseram que poderiam votar. Serra e Alckmin apresentaram potencial de voto no mesmo nível, com 32% e 30%, respectivamente. Ciro apareceu com 20%.

Não é espantoso? Que esforço a mais a direita poderá fazer para destruir Lula? E, a menos que alguém julgue que Aécio ou Marina estão destruídos politicamente, haverá de reconhecer que o ex-presidente está vivinho da Silva – perdão pelo trocadilho, leitor, mas não resisti –, pois está no mesmo patamar de intenções de voto que os principais adversários.

Contudo, este analista se surpreendeu muito mais com a rejeição aos pré-candidatos a presidente em 2018 do que com a aprovação ou com as intenções de voto deles.

Nesse quesito, Lula tem 55% de rejeição, José Serra tem 54%, Geraldo Alckmin tem 52%, Ciro Gomes (PDT) tem 52%, Marina Silva tem 50% e Aécio Neves tem 47%. Ou seja, todos estão ao redor dos 50% de rejeição – até porque, a pesquisa tem margem de erro de 2 pontos percentuais.

De abril para cá, a rejeição a Lula cresceu de 33% para 55%. Cresceu muito. Porém, a de Aécio cresceu de 37% para 47% e a de Marina, de 36% para incríveis 50% – quase na mesma medida que a de Lula.

O que espanta não é difícil de entender. Ora, com todo esse bombardeio que Lula vem sofrendo em relação à sua honra – em cem por cento dos casos, por meio de acusações sem provas – e com a economia do jeito que está, ele ganhar rejeição é absolutamente compreensível. Mas, convenhamos, não é surpreendente que os adversários dele tenham ganhado tanta antipatia?
O caso de Aécio é espantoso porque a mídia não o ataca quase nunca, apesar de seu envolvimento em tantos escândalos. Mas o mais espantoso mesmo é o caso de Marina. Do fim do primeiro turno da eleição de 2014 para cá, a mulher praticamente sumiu. O que diabos ela fez para ter ganhado tanta antipatia?

Enfim, se alguém precisava de uma prova cabal de que Lula está sendo caluniado com fins políticos, essa pesquisa Ibope fornece, ao menos, a causa: ele enfrenta a maior campanha difamatória de que se tem notícia e, ainda assim, resiste.

Essa pesquisa, pois, traz uma boa e uma má notícia para Lula.

A boa: ele resiste assim sem ter como se defender, já que a mídia só publica um lado da moeda. Imagine, leitor, ele tendo tempo de TV para dar a sua versão dos fatos.
Esse é o medo da direita…

A má notícia: com essa pesquisa, o bombardeio contra Lula tende a ganhar uma dimensão imprevisível. Vão buscar, de todas as formas, uma foto dele sendo preso, mesmo que seja uma prisão ilegal que venha a ser relaxada horas depois.

Para encerrar, vale uma reflexão. Imagine, leitor, se após tanta calúnia, tanta covardia, tanta violência assacadas contra si, Lula vier a se eleger em 2018.

Imagine ele dar a volta por cima de tudo, como sempre fez em sua vida.

Ah, você, antipetista fanático, não acredita? Pois saiba que a mídia e os tucanos acreditam, sim, nessa possibilidade. Por isso não param de fustigar o homem com essa obstinação, com essa fé quase religiosa.

Minha análise final é a de que a direita e sua mídia estão certas. Têm motivos de sobra para temer esse fenômeno político que é Luiz Inácio Lula da Silva, para quem, a meu ver, essa pesquisa Ibope foi quase um presente de aniversário.

PS: não comento a pesquisa CNT porque foi feita por tucanos para tucanos.

Nenhum comentário: