A república da usurpação

Fernando Brito, Tijolaço

Antigamente, quando o Brasil tinha uma Constituição, um Presidente da República não podia ser investigado senão pelo Senado Federal, em caso de processo de impeachment, ou com autorização do Supremo Tribunal Federal.
Os tempos mudaram e uma juíza substituta de uma simples vara de primeira instância, porque “acha” que podem aparecer indícios de tráfico de influência, arroga-se a determinar que a Presidência da República entregue todos os documentos relativos à preparação de medidas provisórias.

Para que, senão para que sobre elas se façam investigações que, absolutamente, não são de sua alçada?

O Brasil está assim, completamente entregue à ousadia impune de usurpadores.
Ninguém reage com a devida indignação.

Porque é evidente que aqueles que fazem o que não têm direito de fazer têm intenções.

A juíza manda “ofícios” à Presidente da República “determinando” a entrega de documentação de seu gabinete.

Os ministros do STF, neste momento, devem estar com cara de idiotas.
Falta só mandar um sargento de polícia ir buscar.

O Ministério da Justiça é uma ficção.

O Estado de Direito virou uma palhaçada. Ou uma tragédia."

Nenhum comentário: