"A gente fazia o impítim pela imprensa"

"Sem Cunha não tem impítim"

Paulo Henrique Amorim, Conversa Afiada

Como dizia o Conversa Afiada, o impítim do Aecim - esse Bessinha... - não passava de um rolezinho do PiG: segura a minha notinha que eu seguro a sua.

Tinha a consistência daquilo que faz pesar a fralda de recém-nascido.

O Pauzinho do Dantas é um dos cérebros do impítim.

Ele estava naquele histórico café da manhã, com o Cunha e o Ministro (sic) Gilmar para organizar o impítim (no PiG).

Portanto, ele tem a autoridade política e moral para confessar: o impítim só existia no PiG e em mais nenhum lugar: "ninguém consegue fazer impeachment pela imprensa",  diz o investigado pelo STF.

"Sem o Cunha não tem impítim!", diz ele.

E sem o FHC - seu "sociólogo" - também não!

(Dar a FHC o que é de FHC.)

O impítim subiu no telhado, diz o Pauzinho.

É de lá de cima que o Aecím vai cair.

Porque, segundo o Pauzinho, o Aecím ainda parece acalentar o sonho de que o impítim levará a  novas eleições e ele será consagrado nas urnas.

Coitado do Aecím.

Não se elege deputado federal em Minas!

Nem o PSDB estará ao lado dele na Missa de Sétimo Dia que o Ataulpho Merval de Paiva vai mandar rezar, na rua Lopes Quintas, no Rio, oficiada por Dom Gilmar.

Fernando Henrique vai dizer que estará em Paris, na Avenue Foche."

Nenhum comentário: