Temer ajusta discurso e diz que Dilma fica até 2018


"Em entrevista nesta sexta-feira ao americano The Wall Street Journal, um dia depois de ter dito que seria difícil a presidente Dilma concluir seu mandato diante dos atuais índices de popularidade, o vice-presidente afirmou ter certeza de que ela ficará no poder até 2018 e que sua popularidade deve subir até meados do ano que vem; Michel Temer afirmou ainda que não haverá qualquer tipo de distúrbio institucional e manifestou confiança no ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em meio a intensas especulações de perda de espaço no governo; "Você pode escrever isso: eu tenho certeza absoluta que isso irá acontecer, que será útil para o País, que não haverá nenhum tipo de perturbação institucional", disse Temer; Dilma continuará a governar "até o final, até 2018", completou

Brasil 247

O vice-presidente da República, Michel Temer, disse ter certeza de que a presidente Dilma Rousseff cumprirá seu mandato até o fim, em 2018, e que sua popularidade deve subir até meados do ano que vem, em entrevista ao jornal norte-americano The Wall Street Journal nesta sexta-feira.

As declarações do vice-presidente à publicação norte-americana foram feitas um dia depois de afirmar que seria difícil Dilma concluir o mandato caso sua popularidade permaneça nos atuais níveis.

"Você pode escrever isso: eu tenho certeza absoluta que isso irá acontecer, que será útil para o País, que não haverá nenhum tipo de perturbação institucional", disse o vice-presidente ao WSJ por telefone. Dilma continuará a governar "até o final, até 2018", completou.

Segundo o jornal, Temer afirmou que não haverá qualquer tipo de distúrbio institucional e manifestou confiança no ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em meio a intensas especulações de perda de espaço no governo e de que deixaria o cargo, enquanto tenta reequilibrar as contas públicas.

Temer também disse, de acordo com o WSJ, acreditar que Levy ficará até o fim do governo, mas que não sabe o que acontecerá nos próximos anos. Segundo o vice-presidente, Dilma tem de ficar no cargo, mas ministros podem escolher sair antes.
O governo fez um esforço concentrado na quinta-feira para demonstrar que Levy ainda está na condução da economia brasileira."

Nenhum comentário: