Dilma pede repúdio à turma do ‘quanto pior, melhor’


"Em Teresina, durante lançamento do evento Dialoga Brasil, presidente criticou os que "querem sempre um desastre" e pediu repúdio aos que defendem o "quanto pior, melhor"; "Nós vivemos hoje um momento que muita gente considera que quanto pior, melhor. Quanto pior, melhor para uma minoria. Quanto pior, pior para o conjunto da população brasileira. Nós devemos repudiar esses que querem sempre o desastre, sempre a catástrofe", afirmou Dilma Rousseff; a presidente reconheceu que o Brasil "passa por dificuldades", mas defendeu a democracia e disse que somos "um país que respeita as diferenças"

Brasil 247

A presidente Dilma Rousseff pediu repúdio nesta sexta-feira 11, durante discurso em Teresina, no Piauí, à turma do "quanto pior, melhor". Dilma criticou os que, segundo ela, "querem sempre um desastre" para o País. A presidente participava do lançamento do evento Dialoga Brasil, junto com o governador Wellington Dias (PT).

"Nós vivemos hoje um momento que muita gente considera que quanto pior, melhor. Quanto pior, melhor para uma minoria. Quanto pior [o país estiver], pior para o conjunto da população brasileira. Nós devemos repudiar esses que querem sempre o desastre, sempre a catástrofe", afirmou.

Dois dias depois de a agência Standard & Poor´s ter rebaixado a nota de crédito brasileira, tirando o grau do País, a presidente reconheceu que o Brasil "passa por dificuldades", mas pediu que União, estados e municípios trabalhem juntos a fim de superar a crise. "Quando nós todos agimos em conjunto, somos capazes de transformar o País. Hoje o Brasil passa por dificuldades, que somos capazes de superar. O País tem imensa força", disse.

A presidente também defendeu a democracia e disse que somos "um país que respeita as diferenças" e não aceita a intolerância. "Nunca aceitamos nesse país a intolerância. Nenhum de nós é igual ao outro. Agora, as oportunidade e os direitos são iguais. Esse é um país democrático que conquistou com muito esforço a democracia e a eleição direita", discursou."

Nenhum comentário: