Uai, moço, “it don’t comes to the case”


Fernando Brito, Tijolaço

"É mesmo indispensável o ensino de inglês nas escolas brasileiras.
Só assim o pessoa pode ler matérias que não saem (ou saem escondidinhas, lá no “pé” das reportagens”) como esta da Reuters:

“Lavador de dinheiro brasileiro testemunha que ex-candidato presidencial pegou propina”.

O fato não ocorreu por lá, não. Foi aqui, em Brasília, em pleno Congresso, dentro de uma CPI, diante de dezenas de jornalistas brasileiros.

Parece que estamos voltando aos tempos de “Tanga”, a ilha imaginada pelo Henfil, onde um ditador acaba com a imprensa e recebe um único exemplar do The New York Times, para ele a verdade absoluta.

O pior é que as manchetes são que Eduardo Cunha diz que vai aparecer um delator “premiado” falando de Renan Calheiros, mas um superdelator premiadíssimo, pai de todo o dedurismo, diz que “Aécio Neves took bribes” mal dá um rodapé.

Estamos pior que a Tanga do Henfil, corrijo-me, porque não foi preciso um ditador para acabar com a imprensa.
Ela se matou.

E não foi de vergonha."

Nenhum comentário: