Lula: enquanto eu tiver fôlego, tucanos não voltam

Lula: Tucanos vão ter que esperar 2018
Eles vão ter que aprender voar primeiro para depois voltar à Presidência”, afirmou o Presidente em BH

Paulo Henrique Amorim, Conversa Afiada

Em Belo Horizonte para participar de evento da CUT (Central Única dos Trabalhadores), o Presidente Lula discursou para movimentos sociais e criticou à parte da oposição que, em sua opinião, não aceitou a derrota da eleição presidencial de 2014, que reelegeu Dilma Rousseff. Em sua fala, o petista ainda reafirmou que não deixará o PSDB voltar ao poder.

“Eu perdi três eleições e eu ia, como dizia o Brizola, lamber as feridas. Eu respeitava os resultados. É um direito vocês não concordarem com o nosso Governo, vocês cobrarem e vocês protestarem. Mas tem que esperar 2018 e não com Golpe. Tem que aprender esperar e fazer as coisas certas. Eu jamais vou dizer que sou candidato, mas não digo que não sou. Eu só quero que saibam o seguinte: enquanto eu tiver fôlego para percorrer o país, os tucanos vão ter que aprender voar primeiro para depois voltar à Presidência. Deixem a Dilma governar e trabalhar”, disse o Presidente nesta sexta-feira (28) no  12º Congresso Estadual da central sindical, que completa 32 anos.

No evento, Lula enalteceu os programas sociais que o partido criou e ironizou as manifestações contra o PT e a Presidenta Dilma Rousseff.

“ [Antes], nós protestávamos porque queríamos mais educação. Eles protestam porque conseguimos fazer com que o filho de um pedreiro virasse engenheiro e a filha da empregada virasse médica. Nós protestávamos porque eles não sabiam governar. Só governavam para um terço desse país. E nós governamos para 100% da população.

A única diferença entre nós e eles é que nós protestávamos para conquistar e eles protestam contra as conquistas”, reforçou Lula na capital mineira.

E continuou: “Eu fiz oposição por muito tempo e nunca tive coragem de falar um palavrão contra ninguém. Não é a escola que dá educação para as pessoas. Tem gente que estudou demais e fala palavrão para a Presidenta. São eles, filhinhos de papai, que não se conformam com a ascensão social que aconteceu neste país”, opinou.

Leia outros trechos do discurso:

Apoio à Dilma:

É importante que a gente não perca de vista que estamos vivemos uma crise no mundo. A gente não pode jogar a culpa só nos outros, mas temos que ter claro: podemos discordar do nosso Governo, porém, ele é nosso Governo. Mexeu com ela, mexeu conosco e com o povo brasileiro.

A Dilma tem clareza de quem votou nela.

Ô, Dilma, a CUT não concorda com tudo o que você fez, mas a CUT sabe o que você fez pelo país.


A gente tem o direito de discordar e cobrar, mas temos obrigação que eles são muito pior do que nós.

Em apenas 12 anos, a Dilma e eu fizemos 18 universidades e 455 escolas técnicas.

Provamos que o povo mais humilde precisava de oportunidade.

Lava-Jato:


A gente que quer prenda qualquer um que roubou, mas não pode punir o trabalhador.

Petrobras é motivo de orgulho e todo mundo sabe que eles tentaram vender a empresa.

Esse ato em defesa da Petrobras é extraordinário.

Democracia:

Democracia é uma sociedade em movimento. Não queremos um pacto de silêncio. O que não aceitamos é que essas pessoas não tenham aprendido nada comigo.

Alisson Matos
, editor do Conversa Afiada

Nenhum comentário: