Dilma diz que 'intolerância' motivou ataque a bomba


"Presidente Dilma Rousseff também condenou o ataque realizado contra o Instituto Lula na noite de quinta-feira, 30, no Ipiranga, zona sul de São Paulo; para Dilma, o ataque é inaceitável; "A intolerância é o caminho mais curto para destruir a democracia", disse a presidente em suas contas no Facebook e no Twitter; "Jogar uma bomba caseira na sede do Instituto Lula é uma atitude que não condiz com a cultura de tolerância e de respeito à diversidade do povo brasileiro", acrescentou; a demonstração de ódio político contra o ex-presidente Lula foi condenada por diversas autoridades do governo e do PT; para o presidente do partido, Rui Falcão, o ataque é fruto de setores que insistem em propagar o golpismo, o ódio e ideias conservadoras; somente neste ano, dois diretórios regionais da legenda foram alvo de violência em São Paulo

Brasil 247

A presidente Dilma Rousseff condenou o ataque realizado contra o Instituto Lula na noite de quinta-feira, 30, no Ipiranga, zona sul de São Paulo. Para Dilma, o ataque é inaceitável.

"A intolerância é o caminho mais curto para destruir a democracia", disse a presidente em suas contas no Facebook e no Twitter. "Jogar uma bomba caseira na sede do Instituto Lula é uma atitude que não condiz com a cultura de tolerância e de respeito à diversidade do povo brasileiro", acrescentou.

Como o 247 mostrou, câmeras de segurança flagraram o momento em que uma bomba foi jogada contra o instituto do ex-presidente Lula na noite desta quinta-feira 30 (assista aqui). De acordo com nota da entidade divulgada nesta manhã, o ataque aconteceu por volta de 22h e, felizmente, ninguém se feriu. O Instituto afirma ter sido alvo de um "ataque político".

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que determinou à Polícia Federal que investigue os autores do ataque (leia mais).

O PT reagiu ao ataque à sede do Instituto Lula. O presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, repudiou, em publicação no Twitter, o atentado. "Inaceitável essa escalada de ódio contra o PT. Consequência da criminalização proporcionada por alguns setores da sociedade", afirmou. Para o dirigente, o ataque é fruto de setores que insistem em propagar o golpismo, o ódio e ideias conservadoras. Além disso, ele relembrou que, somente neste ano, dois diretórios regionais da legenda foram alvo de violência em São Paulo.

Em nota, o diretório estadual do PT, presidido por Emidio de Souza, afirmou que esse ato e outros que ocorreram em São Paulo (ataques contra os diretórios do partido em Jundiaí e na capital paulista) "refletem a escalada da intolerância e do ódio que alguns setores da sociedade e da mídia têm amplificado nos últimos meses". "O ataque é uma agressão à nossa democracia", completou."

Nenhum comentário: