Ibope pesquisa eleição fictícia e elege Aécio


"A mais de três anos das eleições presidenciais, o Ibope pesquisou cenários sobre a sucessão de Dilma Rousseff e descobriu que se a disputa fosse hoje o senador Aécio Neves (PSDB-MG) teria 48% contra 33% do ex-presidente Lula; única finalidade da pesquisa é inflamar ainda mais os ânimos golpistas de uma ala da oposição, que tenta, a todo custo, conseguir a cassação da presidente Dilma Rousseff e do vice Michel Temer, para entregar o poder presidencial temporariamente ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que convocaria eleições em 90 dias; Ibope também pesquisou cenários de uma eventual disputa entre Lula e Geraldo Alckmin, que apontou empate técnico; como Aécio sabe que só será candidato caso haja impeachment, ele tem orientado aliados, como o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), a trabalhar dia e noite pelo golpe

 Brasil 247

A mais de três anos das eleições presidenciais, o Ibope realizou uma pesquisa eleitoral feita sob medida para inflamar o golpismo que vem sendo abraçado por uma ala da oposição, liderada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG). Segundo o instituto, se as eleições fossem hoje, Aécio teria 48% dos votos contra 33% do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, num eventual segundo turno.

A validade de uma pesquisa eleitoral a tanto tempo de uma disputa presidencial é praticamente nula, mas o levantamento do Ibope atende a uma finalidade: a de manter acesa a chama do golpe. Desde a convenção nacional do PSDB, realizada no último domingo, 5 de julho, lideranças tucanas, incluindo o próprio Aécio, têm falado em abreviar o mandato da presidente Dilma Rousseff.

O senador mineiro, por sua vez, tem orientado aliados próximos, como o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), a explicitar a linha de ação. Ambos têm defendido a cassação não apenas da presidente Dilma Rousseff, como também do vice Michel Temer, do PSDB. Neste cenário, o poder presidencial seria entregue temporariamente ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que teria a obrigação de convocar eleições em 90 dias.

Este cenário, no entanto, não interessa aos outros três presidenciáveis tucanos, que são o senador José Serra (PSDB-SP) e os governadores Geraldo Alckmin e Marconi Perillo. Todos preferem que a disputa se dê no cronograma normal, ou seja, em 2018. O desespero de Aécio, no entanto, decorre justamente desse fato. Ele sabe que dificilmente conseguirá se manter candidato até lá. Por isso mesmo, ele é hoje o principal artífice do golpe contra a presidente Dilma.

A pesquisa Ibope, que será divulgada neste domingo, também pesquisou um cenário envolvendo Lula e o governador Alckmin. Neste caso, haveria empate técnico: Alckmin com 40% e Lula com 39%. Mas é um cenário tão inútil quanto o que envolve Aécio."

Nenhum comentário: