Cunha em rede de TV. É a “campanha” para Primeiro Ministro?


Fernando Brito, Tijolaço 

O jornal O Dia publica que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, convocou uma rede nacional de televisão para sexta-feira da semana que vem, dia 17.

Serão cinco minutos em horário nobre, em tesa para “prestar contas” do desempenho de sua gestão no parlamento.

A direção, que “bandeira”,  é do marqueteiro de Aécio, Paulo de Tarso.
Obvio que vai “faturar” a redução da maioridade penal e o “saco de bondades”  que os parlamentares distribuíram, claro que cabendo a Dilma pagar.

Ou, quem sabe, vai comemorar a “moralização” das doações de empresas às campanhas, recém-definidas hoje, com a incrível proibição de doação de empresas que fazem obras, mas permissão para as que vendem “quentinhas” ou alugam pessoal terceirizado.

É uma maravilha.

Mas não se pense que serão só trocados, não.

O limite é R$ 20 milhões por empresa, coisa pouca.

Os candidatos a deputado vão poder gastar até 70% do maior gasto registrado na campanha anterior, o que, no caso de Cunha, reduz os gastos de R$ 6,4 milhões para R$ 4,5 milhões, isso se não houver uma providencial correção de valores.

Cunha vai dando seus passinhos para, “qualquer coisa”, surgir como provável Primeiro-Ministro no parlamentarismo que ele defende…

Agora, como virou moda bater panela nas falas de Dilma, espera-se que a moda não pegue entre os adeptos de Eduardo Cunha.  Ainda mais se emlugar das panelas resolverem bater as…deixa prá lá, como brinca o Ancelmo Gois."

Nenhum comentário: