Vitória de Dilma: Fachin é aprovado com 52 votos


"A presidente Dilma Rousseff teve hoje uma grande vitória no Senado: a aprovação, pelos senadores, da indicação do jurista Luiz Edson Fachin para ocupar a 11ª vaga no Supremo Tribunal Federal (STF); para que o nome fosse aprovado, eram necessários, no mínimo, 41 votos por Fachin, mas o resultado teve mais folga, com 52 posicionamentos favoráveis, contra 27 que votaram contra o advogado gaúcho; a votação é secreta; o nome levantou críticas da oposição, mas recebeu apoio geral e irrestrito no meio jurídico

Brasil 247

A presidente Dilma Rousseff teve hoje uma grande vitória no Senado: a aprovação, pelos senadores, da indicação do jurista Luiz Edson Fachin para ocupar a 11ª vaga no Supremo Tribunal Federal (STF).

Oara que o nome fosse aprovado, eram necessários, no mínimo, 41 votos em defesa de Fachin, mas o resultado teve mais folga, com 52 posicionamentos favoráveis, contra 27 que votaram contra o advogado gaúcho. A votação é secreta.

A sabatina de Fachin foi histórica, tendo durado cerca de 12 horas de perguntas. Em um momento de hostilidade ao governo Dilma, a indicação do jurista causou polêmica depois que veio à tona uma manifestação de Fachin favorável à eleição da presidente em 2010.

Em seu discurso durante a sabatina, o relator Alvaro Dias (PSDB-PR) lembrou, no entanto, que a oposição que acusou Fachin de votar a favor do PT se esqueceu que ele já deu apoio a diversos políticos, como os ex-governadores José Richa (Paraná) e Mário Covas (São Paulo) e o prefeito de Curitiba Gustavo Fruet.

As críticas também eram voltadas pelas relações do jurista com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT). Fachin recebeu, porém, o apoio geral e irrestrito do meio jurídico. Nesta terça-feira 19, um grupo de dez ex-presidentes da OAB publicaram uma moção de apoio ao advogado e pediram "serenidade" e "isenção" ao Senado durante a votação."

Nenhum comentário: