‘Turma do ódio’ interrompe com insultos evento sobre violência na internet promovido por Manuela D’Ávila


Correio do Povo

"Um evento organizado para lançar a Frente Parlamentar gaúcha contra a violência na Internet e pelo Humaniza Redes por pouco não terminou em confusão na noite desta quarta-feira, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Os deputados Manuela D’Ávila (PC do B) e Jorge Pozzobom (PSDB) e os jornalistas Juremir Machado da Silva, Luciano Potter e Moisés Mendes debatiam a violência nas redes sociais quando foram interrompidos por gritos e insultos vindos de um grupo contrário ao que chamaram de “comunistas”.

Anderson Girotto, da coordenação do MST no Rio Grande do Sul, falava sobre o momento que vive o Brasil e o ódio de parte da sociedade contra os pobres.

“Esse tema dos ódios veio para as redes porque ele é muito entranhado na nossa sociedade e na nossa forma de viver. Quando a gente não respeita o outro, de qualquer forma, estamos colocando o nosso ódio para fora. Outra coisa que não admitimos, é que o ódio é nosso. A primeira coisa, não buscamos combater o nosso ódio. Sempre vemos o ódio dos outros. Neste momento que estamos passando no Brasil, esse ódio veio mais forte. É o ódio dos pobres. O ódio contra aqueles que não tiveram nada… (vaias)”, encerrou Girotto.

A partir dessa atitude, os manifestantes começaram a vaiar, gritas, acusar e a falar palavras de baixo calão. Logo em seguida, começaram a falar em coro: “Verde e amarelo, sem foice e sem martelo”.

Girotto tentou continuar falando, mas foi interrompido pela deputada Manuela D’Ávila que, depois de pedir desculpas para o representante do MST e para os convidados. “Não vamos deixar a nossa atividade se encerrar com atos de violência, que é o que os provocadores querem. Queria agradecer para aqueles que foram bastante educados, se inscreveram e fizeram perguntas. Assim como tu do Partido Pirata (deputada aponta para um dos participantes), que também foi. Essa diversidade que queríamos ouvir. A daqueles que respeitam e fazem perguntas justas. A censura que está acontecendo agora não é a intenção de nenhum de nós”, encerrou D’Ávila.

Na sequência, a deputada Manuela e o jornalista Juremir Machado usaram as redes sociais para lamentar o fato.

“A vida nos mostra o quão justa foi nossa atividade. A turma do ódio chegou para gritar. Tivemos q acabar para manter a integridade de todos. Contra o ódio na vida e nas redes!”, escreveu a deputada Manuela em suas redes sociais, após a confusão."

Nenhum comentário: