Irmãos Marinho atiram Época no precipício


"Revista semanal do grupo Globo publicou, neste fim de semana, um dos textos mais bizarros da história da imprensa brasileira; trata-se de um relato, em primeira pessoa, assinado por ela, a panela; é isso mesmo, a panela é o pesonagem da semana de Época, num texto repleto de expressões como "pleinpleinplein", "plaplaplapla" e "trektrektrek"; no editorial, o diretor de Redação, João Gabriel de Lima, fala que as denúncias furadas da revista, como a da semana passada sobre o "operador Lula" ainda ecoarão no futuro; "Quando o Judiciário ou o Legislativo chegarem a uma conclusão sobre o assunto, os veículos da imprensa brasileira noticiarão o fato", prevê; engajamento político e denuncismo vazio começam a matar os veículos da imprensa familiar

Brasil 247

O engajamento político e o denuncismo sem provas começam a matar veículos da imprensa familiar. Um exemplo é o da revista Época, que, nesta semana, publica um relato em primeira pessoa da... panela. Sim, isso mesmo. A panela foi escolhida pela revista dos irmãos Roberto Irineu, João Roberto e José Roberto Marinho a "personagem da semana".

 
No texto, que entrará para a história como um dos mais bizarros da história da imprensa, a panela discorre sobre o seu "trektrektrek", seu "blimblimblim" e seu "plaplapla". Parece ridículo – e é. Mas não mais do que o editorial assinado pelo diretor de redação, João Gabriel de Lima, em que ele justifica a denúncia furada da semana passada sobre o "operador Lula".

Como se sabe, Época mentiu, ao dizer, na capa, que Lula estaria sendo investigado pelo Ministério Público. Como a denúncia foi desmontada pela internet em menos de 24 horas, não chegou a repercutir nem mesmo nos veículos de comunicação das Organizações Globo.

No seu editorial, João Gabriel de Lima previu que a repercussão ainda pode vir a acontecer. "Quando o Judiciário ou o Legislativo chegarem a uma conclusão sobre o assunto, os veículos da imprensa brasileira noticiarão o fato. E, dependendo do resultado das apurações, o fato repercutirá em escala planetária", diz o texto.

Época, na verdade, deveria ter se desculpado por seu erro da semana passada. Mas, como pontuou o jornalista Luis Nassif (leia aqui), dobrou a aposta no erro, com mais uma denúncia furada – a da ilegalidade nos aumentos de capital do BNDES feitos pelo Tesouro Nacional."

Nenhum comentário: