Zelotes: por que mídia e oposição não dão a mínima?


"Pergunta é feita pela jornalista Tereza Cruvinel, colunista do 247, que faz alguns palpites sobre a operação que identificou um mega-esquema de corrupção na Receita Federal para favorecer grandes sonegadores; "Será pela ausência de políticos e de oportunidade de atingir o PT?", questiona; "Neste esquema só existem funcionários e grandes empresas, como o Banco Safra", completa; ela ressalta que "até agora, nenhum bravo soldado do Parlamento, governista ou oposicionista, pediu uma CPI para o caso Zelotes"; apenas o senador Paulo Rocha, presidente da CPI do Swissleaks, que disse achar que pode discutir com seus pares a incorporação desta nova investigação na comissão que corre no Senado sobre o HSBC

Por Tereza Cruvinel, do 247

O que explica o baixo interesse da mídia e da oposição pela Operação Zelotes, que identificou um mega-esquema de corrupção na Receita Federal para favorecer grandes sonegadores? Será pela ausência de políticos e de oportunidade de atingir o PT? Neste esquema só existem funcionários e grandes empresas. Como o Banco Safra, que ofereceu (ou pagou, a PF foi ambígua) uma propina de R$ 28 milhões para deixar de pagar R$ 793 milhões.

Até agora, nenhum bravo soldado do Parlamento, governista ou oposicionista, pediu uma CPI para o caso Zelotes. O senador Paulo Rocha, presidente da CPI do Swissleaks, acha que pode discutir com seus pares a incorporação desta nova investigação. Afinal, trata-se da mesma forma de sonegação e evasão (alguns "zelotes" pagaram propinas no exterior). Ele e alguns de seus pares vão requisitar ao Ministério Público acesso aos dados da investigação.

Depois do sigilo inicial, alguns nomes de empresas foram revelados. Entre elas estariam Copersucar, Embraer, Light, Gerdau, Santander,Caenge, Ford, Safra e muito outros nomes reluzentes do capitalismo nacional."

Nenhum comentário: