Servidor dos “ratos” vai ter “delação premiada” para dizer de quem é seu chefe “gato”?


Fernando Brito, Tijolaço

"A Câmara dos Deputados identificou  como Márcio Martins Oliveira, funcionário comissionado, como o agente de agitação que soltou ratos (aliás, hamsters) na CPI da Petrobras, antes do depoimento de João Vaccari.

Márcio foi comissionado do Gabinete do deputado Paulinho.

Exonerado, foi admitido a seguir na Segunda Vice-Presidência.

Em ambos, funcionário com vencimentos  modestos.

É evidente que não fez isso sozinho, mas sob ordens.

Em 2013, entregou fichas falsas para a fundação do partido de Paulinho, o Solidariedade, segundo o jornal O Estado de Minas.

Demiti-lo não basta.

É preciso que ele seja convencido a falar quem lhe deu a ordem.

Ele não iria expor sua “boquinha” a este risco se não fosse demandado a fazer.

Demitido, livra-se do inquérito administrativo e duvido que haja um criminal.

Se não quiserem investigar, pelo menos dêem acesso dos jornalistas a ele, porque mesmo do jeito que anda a imprensa, alguém há de perguntar-lhe.

Ou vai ser deixado de lado quem foi o deputado covarde que o mandou fazer o espetáculo?"

Nenhum comentário: