Senadores pressionarão Gilmar para julgar financiamento


"Um grupo de senadores vai começar a pressionar o ministro Gilmar Mendes, para que libere a ação sobre financiamento de campanha, que ele já segura por mais de um ano, a fim de que a Corte possa concluir o julgamento sobre a questão; a discussão sobre a proibição de doações empresariais para candidatos foi suspensa por um pedido de vista de Mendes, quando o placar anotava seis ministros a favor da medida e um contra; ainda faltam os votos de quatro magistrados; o senador Cristovam Buarque (PDT/DF) pediu uma audiência com o ministro no próximo dia 29 para conversar sobre o assunto; Randolfe Rodrigues (PSOL/AP), devem acompanha-lo

Brasil 247

Um grupo de senadores vai começar a pressionar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, para que ele libere a ação sobre financiamento de campanha, que ele já segura por mais de um ano, a fim de que a Corte possa concluir o julgamento sobre a questão.

O senador Cristovam Buarque (PDT/DF) pediu uma audiência com o ministro no próximo dia 29 para conversar sobre o assunto. Outros senadores, como Randolfe Rodrigues (PSOL/AP), devem acompanhar Buarque.

A discussão sobre a proibição de doações empresariais para candidatos foi suspensa há mais de um ano por um pedido de vista de Mendes. Até agora, 6 ministros votaram a favor da medida e 1 contra. Ainda faltam os votos de quatro magistrados.

"Nós vamos fazer um apelo para que ele dê a posição dele, qualquer que ela seja. A gente acredita que vai ser bom para o meio político se esse processo avançar", afirmou o senador do PDT.

Mendes tem declarado que o modelo de financiamento de campanha é um tema que tem de ser discutido pelo Congresso e não pelo Supremo. Ele também costuma defender que a mudança no sistema não seria a solução para acabar com a corrupção, tese que costuma ser defendida por quem é favorável ao fim das doações por empresas."

Nenhum comentário: