O vídeo que o PiG capou: roubalheira começou com FHC!

"Dr Moro, Dr Moro, o senhor vai prender a cunhada do FHC ?

Paulo Henrique Amorim, Conversa Afiada


Não adianta apagar, porque está no acervo do Congresso … (Denuncia está a partir do minuto 32′)

O Conversa Afiada reproduz o depoimento de Augusto Mendonça Neto, da empresa Toyo Setal na CPI da GloboNews dessa quinta-feira 23/4.

Ele diz que a roubalheira “generalizada” se concentrava em dois diretores – como explicou o Gabrielli, aqui ao Conversa Afiada -,  ambos devidamente demitidos pela Dilma.

E o mais importante: ele diz, candidamente, que a roubalheira é dos tempos do FHC, quando presidia a Petrobras o Joel Rennó, indicado pelo ACM, que dividiu a presidência com Roberto Marinho, Jose Sarney e FHC.

Essa informação – a roubalheira se origina no Governo FHC – ficou na home page do PiG por 3 segundos e se evaporou.

Como o mensalão tucano, que sumiu como a credibilidade do “Projeto Bonner”, aquele que pensa que nós somos crianças, como diz o Simão.

Dr Moro, Dr Moro, quando é que o senhor vai botar em cana a cunhada do FHC ?

Antes, o C Af havia publicado:

Delator: roubalheira começou com FHC !

Moro, Moro, vai deixar esse delator também sumir?

Saiu no Estadão:

ESQUEMA NA PETROBRAS ERA EM CONJUNTO, DIZ EXECUTIVO À CPI

Em depoimento à CPI da Petrobrás, o executivo da Toyo Setal Augusto Mendonça Neto revelou aos parlamentares que o esquema de corrupção da estatal começou no final da década de 90 – a partir de 1997 até os dias atuais – em uma ação conjunta entre as diretorias de Abastecimento e de Serviços. “Não podemos imaginar que uma companhia como esta, organizada e competente, pudesse ter um esquema como essas duas diretorias montaram”, afirmou. NAVALHA

O Juiz Moro de Guantánamo tem cometido alguns pequenos “deslizes”.
Segundo a Fel-lha, errou de irmã.
Confundiu a cunhada do Vaccari com a irmã!
E mantém a cunhada em prisão perpetua…
Antes, a testemunha que depôs contra o Anastasia – coitado do Anastasia, bode expiatório ​- tinha desaparecido!
Que coincidência.
A testemunha do único tucano – fora o morto…
Essa Lava Jato é um castelo de areia.
Em tempo: Joel Mendes Rennó era o presidente da Petrobras em 1997. Ficou no comando da estatal entre Novembro de 1992 e Março de 1999.
Rennó foi uma indicação do PFL, ou seja, de ACM, que também encaminhou Daniel Dantas, o brilhante, ao FHC. Como diz o Mino, tudo a mesma sopa – PHA
Em tempo do Vasco: A nota do depoimento que fala da corrupção desde 1997 ficou só alguns minutos na home do Estadão. Deve se enquadrar na categoria “se quiserem podem tirar”.




Nenhum comentário: