Je ne suis pas Edir Macedo


Fernando Brito, Tijolaço  

'O Vitor Teixeira,  cartunista que já ajudou e ajuda este Tijolaço,  recebeu  uma notificação da Igreja Universal do Reino de Deus, por conta de uma charge feita por ele em que aparece um gladiador com o símbolo da igreja evangélica na camisa dando um golpe de espada em uma mãe de santo ajoelhada.

Vitor, prudentemente, tirou de sua página no Facebook, a ilustração, como eu próprio fiz quando publiquei um relatório daquela Empíricus “Fim do Brasil” que mostrava seu fiasco como promotora de carteiras de investimento.

Não temos uma estrutura que nos torne capazes de suportar na Justiça o poder de quem tem dinheiro.

Se alguém acha isso estranho, compre, baratinho, nos sebos, um pequeno volume do autor de “best-sellers” Frederick Forsyth, chamado “Sem Perdão”.

É a história de um pequeno corretor da City londrina contra um colunista de um grande jornal.

O  Vitor, portanto, está agindo certo: obedece e mostra publicamente porque o está fazendo,  por que a liberdade que nos tiram, se gritamos, não está perdida.

Quem está agindo errado é a igreja de Edir Macedo, inclusive do ponto de vista da comunicação.

Duvido que Vitor se negasse a publicar uma nota dizendo que se pautava pelo respeito a todas as crenças, sem abrir mão de suas próprias.

Duvido que ele se mantivesse indiferente a uma declaração de que não se transforma a fé em ódio aos diferentes.

Os evangélicos no Brasil precisam se despir do ódio, ódio que ajudaram a construir.

Ninguém é porta-voz de Deus e, segundo me lembro, Deus não precisa ser defendido.

Muito menos com ameaças de ação judicial."

Nenhum comentário: