Vira-latas fracassam e a Copa de 2014 avança


Lembrando o “complexo de vira-lata” criado por Nelson Rodrigues, uma turma não se cansou de repetir que o Brasil passaria vergonha na organização de um evento como a Copa do Mundo. Em apenas uma semana, inauguração de dois estádios reformados e concessão de aeroportos, que receberão bilhões em investimentos, mostram que as coisas estão avançando. Quem disse que o Brasil não pode organizar um evento mundial com êxito?

Heberth Xavier, Brasil 247

Há não mais do que um ano, uma turma de esclarecidos não cansava de bradar que o país seria um fracasso na organização da Copa de 2014. O berro era tão repetitivo e alto que passava até a impressão de que eles torciam, no íntimo, pelo malogro brasileiro. “Eu te disse, eu te disse, eu te disse”, era o que a turma mais desejava -- e deseja --, repetindo o bordão chatíssimo daquela motoquinha do desenho animado.

Eles representavam uma versão moderna e, digamos, um pouco mais sofisticada, do que Nelson Rodrigues chamava de complexo de vira-lata brasileiro, expressão, por sinal, criada pelo dramaturgo graças ao futebol (Nelson se referia ao trauma brasileiro depois da derrota, em pleno Maracanã, para o Uruguai, na final da Copa de 1950). Anos se passaram, Nelson até virou ídolo de vários desses vira-latas, mas eles nunca conseguiram chegar sequer perto da sua influência. Um deles, tentando também virar bordão, trocou as bolas e escreveu um estranho livro chamado… “Contra o Brasil”. Nelson Rodrigues se esbaldaria com tamanho vira-latismo…”
Matéria Completa, ::AQUI::

Comentários

  1. A questão não é complexo de vira-latas. Todos que estão contra a copa do mundo no brasil tem consciência do nível de corrupção deste país, e que os custos apresentados seriam aumentados para suprir a gula daqueles que, com certeza iriam desviar os recursos. Uma copa do mundo é feita por uma entidade privada, porém com o dinheiro do contribuinte, ou seja, o nosso. Pergunto: Qual vantagem estou recebendo pelo fato da copa ser no brasil? O país precisa destes recursos para atender necessidades muito mais urgentes, tais como educação e saúde. O problema é que brasileiro é muito burro e só pensa a curto prazo. 99,99% da população não terá acesso aos estádios para assistir os jogos. Tente primeiro ver o custo inicial das obras e o final para ter uma noção do quanto fomos roubados. As obras que efetivamente poderiam ser usufruida pela população após a copa simplesmente estão relegadas a segundo plano, tais como acessibilidade, transporte, urbanização, etc.
    Os jogos pan-americanos não deixaram saudades.

    ResponderExcluir

Postar um comentário