Após denúncia do 247, vídeo do UOL para no MP



“Filme pornô publicado no portal de notícias que pertence à Folha de S.Paulo, de Otavio Frias Filho, simula estupro de mulheres, que gritam e fogem até de facas de seus "agressores". Secretaria de Direitos para Mulheres, comandada pela ministra Eleonora Menicucci, foi acionada um dia depois de matéria publicada no 247 e pediu apuração e providências sobre o caso à Procuradoria dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal. Site dificultou acesso ao vídeo, que estava destacado no canal de sexo


Depois de o 247 ter publicado reportagem denunciando um vídeo pornô que simulava estupros contra mulheres, publicado no canal de sexo do portal UOL, da Folha de S.Paulo, o caso foi parar no Ministério Público Federal. A Secretaria de Políticas para as Mulheres, comandada pela ministra Eleonora Menicucci, foi acionada em 24 de dezembro por meio de sua ouvidoria, um dia depois da publicação da nossa reportagem, e encaminhou o caso para o MP.

"A SPM foi acionada, por meio de sua Ouvidoria, em 24 de dezembro, por uma demandante. A partir disso, a SPM oficiou a Procuradoria dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal, solicitando apuração e providências em relação ao caso", respondeu a Secretaria ao 247, por meio de sua assessoria de imprensa. Procurado pela nossa equipe, o Ministério Público não conseguiu verificar o andamento do caso devido a problemas técnicos no sistema.

Acesso no UOL

O vídeo do UOL, que antes podia ser acessado direto da página principal do canal de sexo, agora está mais escondido. As chamadas para ele eram: "Violando a loira" e "Ela foi forçada a fazer sexo!", incluindo, desta forma, o estupro como uma categoria de pornô. Agora, depois de acessar o canal "entretenimento" e "sexo", não se vê mais o filme em destaque, é preciso procurá-lo no canal "brasileirinhas".

De qualquer forma, tanto antes quanto agora o link é liberado para qualquer internauta, mesmo que seja menor de idade. Para entrar no canal de sexo, basta clicar em "prosseguir" quando o portal "avisa" que a seguir há conteúdo "impróprio para menores de 18 anos". No canal "brasileirinhas", o botão "Eu concordo" facilmente leva o internauta diretamente para o acesso aos vídeos.

Na reportagem anterior, o 247 colocou em questão o quanto isso é grave num país onde milhares de mulheres morrem sofrem violência doméstica diariamente – e morrem em decorrência dela. De acordo com números do Anuário das Mulheres Brasileiras 2011, divulgado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres e pelo Dieese, quatro entre cada dez mulheres brasileiras já foram vítimas de violência doméstica. Nos últimos 30 anos, 92 mil mulheres foram mortas no Brasil vítimas desse mal.”

8 comentários:

Anônimo disse...

Cara, tanto vídeo de estupro na net e eles se preocupando só com um ¬¬ , vai ver no XVideos o quanto de ~rape video~ tem ali -.-'

Anônimo disse...

Ia falar a mesma coisa que o anônimo de cima

Anônimo disse...

A melhor parte é dizer como acessar e ensinar a fazer... Parábens!!!

Anônimo disse...

Agora querem censurar até o video porno? até parece que nenhuma mulher gosta de levar tapa na bunda na cama, ou que não tenha a fantasia de ser estuprada pelo parceiro.

Tarcisio Andrade disse...

Nossos políticos em Brasília não sabem o que internet. Constantemente comportam-se como se tivessem chegado de outro planeta, totalmente desinformados do que é comum na web. E simulação de estupros, até com insinuações de estupro a menores, é o que mais tem, podendo ser vistos em sites como XVÍDEOS e YOUTUBE, só por mísero e insignificante exemplo. Agora, saber aumentar os próprios salários com 61% eles sabem.

Anônimo disse...

Apologia à estupros tem que ser banida!

Anônimo disse...

Aeh, anônimos...se vcs fossem mulheres, o que não devem ser pelos comentários, não iam querer ser estupradas. Uma coisa é desejo sexual com um parceiro, outra coisa é estupro. Se vc fosse estuprado, duvido que postaria um comentário tão imbecil como esse. No mínimo vc é um punheteiro trouxa.

Anônimo disse...

hahahah boa, anônimo de cima o/ bando de punheteiros trouxas que possivelmente ainda farão muita merda. LOL e até parece que um cara nunca quis levar um tapa na bunda enquanto dava pro estuprador né?