“Para ser condenado no Brasil basta ser preto, puta, pobre e petista.", diz ator José de Abreu

O ator José de Abreu, intérprete de Nilo em "Avenida Brasil"


Alberto Pereira Jr., Folha de S. Paulo

“José de Abreu, 66, acompanha com a mesma intensidade o desfecho de "Avenida Brasil" e a conclusão do julgamento do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal). 

No caso do folhetim da Globo, que termina na sexta-feira, a morte de seu personagem, Nilo, que começaria a ser exibida no capítulo de terça (16), não o elimina da lista de suspeitos do assassinato de Max (Marcello Novaes), seu próprio filho. 

Em conversa com a Folha, o ator fala da novela e de política.

"AVENIDA BRASIL"
 
"O fim de de um trabalho dá uma certa dor, porque você sabe que não consegue manter a amizade e o contato com essa família que se forma. Foi um privilégio trabalhar com a Vera Holtz. Que mulher! Que atriz!. A Adriana Esteves também, o Juca de Oliveira, a Débora Falabella, que está indo gravar doentinha, que vontade de pegar no colo." 

"Ator é um ser privilegiado. Em cada personagem, a gente encarna de novo. Como se fosse uma nova vida. E a impressão que a gente tem é que isso nos faz ficar melhor, entender o outro melhor. O Nilo, por exemplo, me faz entender um mundo que eu nunca vivi, que eu nunca tive. Costumo brincar que o bom de fazer vilão é que não precisarei fazer maldade na vida real [risos]." 

"Costumo brincar que estou na Globo há 32 anos e os diretores sempre pediam menos, Zé, menos. Nesse personagem eles disseram para eu fazer mais, que eles iam atrás. Fizemos algo incrível nessa novela, um lixão bonito e lúdico. A casa do Tufão [Murilo Benício] como uma Torre de Babel, onde todos falavam ao mesmo tempo. O João Emanuel Carneiro foi buscar inspiração em Charles Dickens [1812-1870]. Viajei a Londres, durante um intervalo na novela, com minha mulher e meu filho, para pedir a bênção ao escritor na casa que foi dele. Fiz um um Nilo meio inspirado naquele judeu Fagin, do livro 'Oliver Twist'. Uma obra de arte quando dá certo, o Boni[ex-diretor da Globo] falava de química, quando a soma dos componentes funciona e dá a química é impressionante. Acho que deu certo." 

"A risada. O hihihi do Nilo fui eu quem trouxe. Tinha a necessidade de mostrar o trabalho das maquiadores da Globo, que conseguiram deixar meu dente apodrecido para o personagem. Depois, o autor começou a colocar a risada no texto."
Foto: Leonardo Wen/Folhapress
Entrevista Completa, ::AQUI::

9 comentários:

Anônimo disse...

Petistas são eternas vítimas... coitadinhos, injustiçados, esquecidos. Roubam, achincalham, vilipendiam, e a sua única defesa é se fazer de coitadinhos e perseguidos sem motivo. A quem descobre suas falcatruas, os petistas já tem seus ataques: chamam-nos de filhotes da ditadura, reacionários, filhos da elite. Mas esquecem de fazer o que deviam: ser honestos.

adrianonascimento disse...

se for ladrão não importa sua condição tem que ir para cadeia seja pobre,preto ou puta....cometeu crime que se ferre...esse discurso de esquerdista é que vem matado o país faz tempo.......não dou colher de chá a ninguém, seja rico ou pobre, branco o preto...

Anônimo disse...

Sou preto e nunca fui preso, pois sempre cumpri com meus deveres de cidadão e nunca tirei nada de ninguém, então se for preto, azul, branco, amarelo, puta, petista, do PMDB, PSDB ou de outro partido, se roubou, tem que ser punido.

Anônimo disse...

Preto é menosprezado por julgarem a condição social do sujeito baseado na cor. Preconceito. Mas veja se um preto rico não é respeitado!
O que o brasileiro não respeita é pobre.
Sobre as putas, estão num dilema moral pessoal. Já os petistas estão num dilema moral público. O que eles dizem e fazem não prejudica somente eles mesmos, mas toda sociedade.
Petistas deveriam ser comparados com estelionatários, golpistas, criminosos em geral, pois toda a forma de atuação política deles é baseada em retórica, mentira e manipulação. Nunca, jamais espere honestidade intelectual de um petista. Ele sempre tenta distorcer fatos e manipular opiniões. Eles têm "pensadores" e teóricos que ensinam como fazer isso. Se as pessoas soubessem....

Anônimo disse...

hipócrita...

Anônimo disse...

Na faculdade os professores sempre se referiam aos três "p" (puta, pobre e preto). Mas na realidade do sistema sobra somente um "p", pois, mesmo quando condenadas pessoas fora do perfil "p", só cumpre pena mesmo o "pobre".Duvido com todas as forças que algum rico condenado do mensalão cumpra pena preso.

Claudio Lins disse...

Triste realidade dos pobres, pretos e das putas chegarem ao ponto de serem comparados com os petistas.
Ser preto,pobre ou puta pode significar ou nao ser honesto, honrado e trabalhador.
Já petista significa com certeza ser o contrário, ou seja, ladrao e desonesto.
e Viva o magnifico senhor doutor ministro do supremo ,que por acaso é negro ,e que nunca precisou de cotas pra mostrar que é honesto, competente e eficiente!!
Quanto ao ator, alguem lembre a ele que aqui nao é cuba,ou venezuela, porfavor.

Anônimo disse...

que aberração, comparar negros, pobres e putas com petralhistas, este palhaço deve ter levado algum com umas destas leis de incentivo a cultura do pt e agora quer retribuir afirmando que ladrões não devem ir para cadeia, palhaço vendido

Anônimo disse...

ISSO È UM HIPOCRITA, PAU NO CÚ