Eleições nos EUA: será o Facebook o verdadeiro estado decisivo?


Barack Obama pode capitalizar seu
predomínio online sobre Mitt Romney,
ou a rede é acadêmica quando tantos
eleitores já estão decididos?
CartaCapital / The Observer


“Está bem, eis a advertência de saúde obrigatória: durante muito, muito tempo as pessoas vêm dizendo que a próxima eleição presidencial nos Estados Unidos seria a “eleição da internet”. E até agora todas essas previsões se revelaram erradas, pelo menos se as interpretarmos como afirmações de que o resultado da eleição é efetivamente determinado pela atividade online.

A inspiração para toda essa especulação sobre o impacto político da rede é uma tecnologia de comunicação mais antiga: a televisão. Na década de 1950, as pessoas especulavam infinitamente sobre o impacto dessa mídia na política, mas foi só em 1960, com os famosos debates televisivos entre John F. Kennedy e Richard Nixon, que a especulação se confirmou em certeza: a TV era o fator chave na política presidencial.

E esse foi o senso comum durante as três décadas seguintes, até que a web transformou a internet em algo que as pessoas “comuns” começaram a usar.

Durante pelo menos uma década desde então, as pessoas têm procurado um ponto de virada análogo para a mídia online. Alguns argumentaram que a maestria de Obama nas redes sociais em 2008 foi crítica para garantir sua eleição. Os céticos retrucaram com a opinião de que o impacto da mídia online empalideceu e se tornou insignificante, comparado com os danos que os republicanos infligiram a si próprios ao nomear Sarah Palin companheira de chapa de John McCain e aspirante a vice-presidente.”
Artigo Completo, ::AQUI::

Nenhum comentário: