A nossa cota na redenção

Rodolpho Motta Lima, Direto da Redação

“Se considerarmos como um bom conceito para democracia aquele  que a afirma como um regime político em que o Governo é  “do povo, pelo povo, para o povo”,  e, a partir daí, tentarmos estabelecer uma espécie de índice de  “Democracia Interna Bruta” (substituindo o “PIB”  pelo “DIB” como elemento aferidor do progresso nacional), inevitavelmente teremos que analisar em que medida o conjunto  de leis do país vem evoluindo de forma a  corresponder às aspirações  cidadãs do seu povo. 

Muitas vezes, o próprio povo , fazendo valer o verdadeiro sentido da expressão “opinião pública”, é quem toma a iniciativa de provocar a legislação de que se ressente, revelando, nessas oportunidades,  a  omissão daqueles a quem conferiu representabilidade. Esse é o caso da lei da “ficha limpa”, que provavelmente jamais teria sido elaborada pelos nossos legisladores se não tivesse havido a pressão popular.

Paradoxalmente, é fato raro que o povo consiga sobrepor-se a seus “representantes” e veja atendidos, pelo sistema legal,   os seus interesses. Muitas vezes, o próprio povo   perde oportunidades que lhe são “concedidas”, não percebendo manipulações que escondem interesses que não são  os da cidadania. Penso que isso  aconteceu, por exemplo, na consulta popular (uma das raras em nosso país) feita sobre o desarmamento, quando uma forte campanha da turma das armas , amparada por expressivo apoio midiático, consagrou a tese de que era necessário preservar entre nós a venda legal  de armamentos.

A recente votação do Código Florestal é outro exemplo significativo do distanciamento entre os interesses legítimos da população e as espúrias conveniências dos assim chamados “ruralistas”, um eufemismo para mascarar muitos latifundiários e exploradores responsáveis pelo desmatamento de nossas matas. Uma “bancada”  surreal - quase um terço do Congresso – que representa algo totalmente contrário aos interesses do povo eleitor e, por extensão, do país. 

Mas nem tudo está perdido nesse campo.  Refiro-me aqui à recente deliberação do Senado que, como resultado de legítimas pressões, vem atender a reclamos da sociedade, aprovando o projeto que regulamenta o sistema de cotas raciais e sociais nas universidades públicas federais em todo o país. Metade das vagas nas universidades deve ser separada para cotas e essa reserva – para alunos da rede pública -  será dividida meio a meio, entre cotas sociais (para os comprovadamente carentes)   e raciais (destinadas  aos estudantes negros, pardos ou indígenas, conforme distribuição censitária em cada estado da Federação).”
Artigo Completo, ::AQUI::

10 comentários:

Anônimo disse...

Post ridiculo totalmente sem nexo claramente escrito por uma pessoa partidaria e de esquerda que não percebe o real motivo que move o atual governo que é poder, a questão das cotas é ridicula um negro é menos capas que um branco??? e o direito de portar armas e me defender eu não tenho??? e o codigo florestal pq vc não vai a amazonia ou ao mato grosso e ve oque estão fazendo com as terras vc acha que eles respeitam alguma coisa veja quantas madeireiras tem e qtoas autorizações existem, precisam é de fiscalização voce é ridiculo e tendencioso

zejustino disse...

O comentário do "anônimo" é típico de uma pessoa QUE SE DIZ apartidária, mas é de direita porque utiliza os mesmos argumentos da direita hidrófoba brasileira.

-O argumento sobre a diferença de capacidade entre etnias supostamente implícito no projeto é ridículo. Lembra muito o argumento da ditadura militar a respeito da "divisão do bolo" (divisão da riqueza produzida no país). Assim como as classes mais desfavorecidas (que tem uma grande, senão maior, parcela da população afrodescendente) ficariam eternamente em berço "esplêndido" de cipó de aroeira aguardando a "divisão do bolo", ficariam também -logicamente- eternamente aguardando uma oportunidade de ascender ao ensino superior.


-"direito de portar armas e me defender eu não tenho?"
Sem comentários. É o supra-sumo do "discurso" da direita.




-"o codigo florestal pq vc não vai a amazonia ou ao mato grosso e ve oque estão fazendo com as terras"
Alguém não viu um texto neste blog, um pouco abaixo deste post, com referencia à bancada ruralista. Alguém que por ignorância ou conveniência tenta desviar a atenção dos destruidores de florestas, escravagistas e assassinos de líderes camponeses e sua representação no Congresso. Então, tá!

Anônimo disse...

sr Zé espero que não seja o Dirceu, em relação a cotas eu até acredito em cotas, mas em cotas por condição social e não por "raça" já que todos somos da raça humana, se for por cor da pele o branco e pobre esta fud... e isso é "revanchismo", na questão da armas todos os povos que foram subjulgados pelos ditadores" começaram com o desarmamento e a dependencia total do governo para fazer a sua segurança, se invadirem a sua casa e tentarem violentar a sua filha ou esposa você3 não quer ter o direito de defender a sua família? bandido não compra arma em lojas e não respeita leis por qual motivo respeitariam um desarmamento??? quais as reais vantagens para o povo de bem o desarmamento traria?

Quanto ao codigo florestal não vai mudar nada, os pires desmatamentos ocorrem nas "terras de ninguem," lugares onde a falta de estudo e ignorancia do povo provocada por anos de descaso dos politicos locais, faz com que a população eleja qualquer um (sarneis da vida) que obtem muito lucro destruido as nossas riquesas

Luiz Arruda

Anônimo disse...

devo apenas salienar que hj em dia tenho certo horror a politica porem no caso das cotas acredito que tenham feito as coisas certas porem de maneira errada se e pra dar cota entao que se de cotas a alunos de escola publicas e nao financiamentos pq o que ocorre hj no brasil e q quem sai da escola publica se puder pagar uma faculdade particular fara um curso se nao dificilmente consegue uma vaga em faculdade publica e a maioria das faculddades publicas no pais sao referencia o q as torna um excelente lugar para q pessoas poderosas possam arranjar vagas para seus filhos sei disso pq tenho uma conhecida dcujo pai comprou uma vaga em uma faculdade federal hj a garota ja esta formada em medicina na epoca o pai dela pagou cerca d cem mil reais pela vaga nao vou diser o estado q aconteceu mas isso foi em 1996 sabem q em 96 o real era muito valorizado correto, eu terminei o segundo grau em 2002 gostaria d ter me formado mas a cada dia as coisas se complicam mais e nao vejo previsoe sde melhoras para a populaçao de classe media pq aki e assim se vc tem dinheiro vc tem privilegios e se nao tiver dinheiro o governo te dara todas as chances possiveis

Anônimo disse...

Em meu pleno direito constitucionalmente garantido de me manifestar, afirmo que a política de cotas é ineficiente. Discordo completamente que haja igualdade jurídica na possibilidade de uma pessoa menos capaz tomar o lugar de uma que apresenta maior competência. Essa realidade me causa repulsa. Isso não é inclusão, é segregação de uma nova parcela da população. Serão formados outros nichos de pobreza entre os cidadãos brasileiros. Essa discussão entre direita/esquerda já é tão antiquada que se torna insuficiente para os problemas que a população passa. Faço faculdade federal, e na minha sala existem alunos originários de escola pública (ingresso por meio de cotas) que não possuem a maturidade necessária para levar um curso superior adiante. Dessa forma, não acredito que a origem do problema seja na cor da pele ou na escola das quais os alunos advém. A razão dessa enorme desigualdade e falta de mobilidade social está, meus caros, na base do sistema educacional, na falta de estrutura dos lares, na carência e fome dos indivíduos. As cotas, além de injustas, são anticonstitucionais. É uma barbárie que os nossos legisladores e magistrados permitam que tamanha atrocidade seja cometida contra dos direitos assegurados pela Carta Suprema brasileira. A cota, é uma alternativa para silenciar a população de forma momentânea, entretanto, como dito anteriormente, ela não é eficaz e formará novas classes de pobreza. Enquanto isso, caso seja mais cômodo para os partidários e apartidários resmungões... Vamos festejar a Copa e Olimpíadas no Brasil, afinal, a quantia que será investida, aparentemente, não faz falta para o povo brasileiro. E que viva a peneira para que possamos tapar o sol!

Grampola disse...

Ótimo post, os anônimos são só coitados que por saberem estar falando abobrinha e mentiras sem nexo se escondem.

Anônimo disse...

meu deus. este texto foi feito no gerador de lero lero? aprenda a escrever sem enrolar.
direto ao ponto das cotas: voce seria operado por um medico cotista? eu sinceramente se soubesse que meu medico foi cotista, procuraria outro. nao sou uma pessoa racista, muito pelo contrario, mas no futuro vou evitar medis negros.

Anônimo disse...

Sinto muito colega, mas você defecou pelos dedos com esse post. Que idade você tem? 14?
Porquê se me lembro bem na época do plebicito pelo desarmamento ocorreu exatamente o contrário do que você disse no texto: O apoio massivo da mídia em prol do desarmamento (principalmente a globo), e ainda assim, a população não se deixou manipular.
Em relação as cotas, a solução não é essa. Solução mesmo seria equiparar o ensino público ao particular, pois é bem verdade que é quase nula a chance de uma pessoa que estudou em escolas públicas a vida inteira, competir com alguém que estudou toda uma vida em escolas particulares, e ainda fez uns dois anos nos melhores cursinhos para tentar passar em medicina. Mas como vivemos no mundo real e não no ideal, as cotas SOCIAIS, podem resultar numa solução temporária.
Sem mais.

Branquelo Azedo - Euro-descendente disse...

Não adianta.
Este é um post racista, escrito - e defendido - por racistas.
Quem concorda é sangue bom. Aliás, se é da cor, concorda mesmo sem ler o texto de péssima redação.
Quem não concorda, é direitista, branco, errado, "hidrofóbico", etc.
O certo é que novos tempos chegaram e a agora é a hora dos brancos de olhos azuis sofrerem a discriminação. E os negros viverem as regalias, mesmo sem fazer por merecê-las. Afinal, eles são negros...

Cesar Martins disse...

Os cotista são ótimos alunos, conforme estatística do MEC, os alunos cotistas tem obtido desempenho na universidade igual ou superior aos não cotistas. Nos Estados Unidos um cotista se tornou um dos melhores médicos do mundo. Benjamin Carson, foi cotista e hoje é um dos melhores neurocirugiões do mundo, pode consultar com cotista - eu consultaria com muito orgulho - as cotas são uma justa reparação.