(Vídeos): israelenses atiram em palestinos desarmados

Imagem capturada do vídeo da B'Tselem
mostra assentado atirando contra
palestinos enquanto soldados
de Israel observam.
José Antonio Lima, CartaCapital

"Uma sequência de três vídeos divulgados pela organização não governamental israelense B’Tselem mostrou de forma clara como a existência de assentamentos nos territórios ocupados da Cisjordânia é destrutiva para o processo de paz entre Israel e os palestinos.

Os vídeos, gravados no sábado 19, flagram um confronto entre israelenses do assentamento de Yitzhar e palestinos da vila vizinha de Asira al-Qibliya. É possível ver nas imagens gente dos dois lados atirando pedras contra os rivais, num confronto, aparentemente, em igualdade de condições. Em determinado momento, no entanto, as coisas mudam. Entre os assentados, há pelo menos três portanto armas automáticas. Dois estão com fuzis (provavelmente do tipo M4), um com uma pistola automática; os três atiram contra os palestinos enquanto são observados por homens fardados, aparentemente soldados israelenses. Momentos depois, um rapaz palestino (que antes jogava pedras contra os israelenses) é carregado com um ferimento na cabeça e muito sangue escorrendo em seu rosto e pescoço.





De acordo com a B’Tselem, o confronto teve início quando um grupo de israelenses deixou o assentamento e tentou colocar fogo em construções na vila palestina. Avraham Binyamin, porta-voz do assentados daquela área, disse à agência Associated Press que os palestinos atacaram os israelenses quando estes estavam tentando apagar um incêndio. Descobrir quem está certo servirá apenas para resolver o caso do jovem ferido (mais tarde identificado como Fathi Asayira, de 24 anos), mas esta investigação não pode esconder duas verdades que Israel teima em negar. A primeira tem repercussões práticas e diplomáticas para o processo de paz: os assentamentos, e os assentados, não poderiam nem mesmo estar neste pedaço de terra chamado de Cisjordânia e constituem uma violação da lei internacional. A segunda tem consequências emocionais: os conflitos na região corroem ainda mais o relacionamento entre os dois povos.”
Foto: AFP
Artigo Completo, ::Aqui::

7 comentários:

Anônimo disse...

Para Israel, não basta ocupar o territorio dos outros, também tem matar.
è um absurdo mestes assentamentos, e a ONU não faz nada para contelos. Cotadinhos dos Isrealenses.
Henrique

Anônimo disse...

Quero ver alguem com uma arma na mão e dezenas de pessoas atirando pedra contra e o individuo não usar a arma. Falar de Israel e dos judeus é facil, quero ver estar no lugar deles recebendo pedradas e misseis a todo momento e ainda por cima ser julgado por todo mundo como os bandidos da situação. Mas o mundo esquece que quem derrubou as torres gemeas foram os arabes justamente em favor dos palestinos.

Anônimo disse...

tanto palestinos como israelenses sao um bando de idiotas. ja convivi com ambos , conclusao: bando de primitivos!

Anônimo disse...

Por todas as informações que me foram passadas durante o colégio e estudando todos as matérias em jornais e revistas, só conclui que mesmo que Israelenses tendo suas razões, eles serão sempre os invasores. Independente do que passaram em toda a sua história, a ONU de forma política e estúpida, jogar de "paraquedas" o povo de Israel em cima do território Palestino, com apoio financeiro e bélico do EUA, será sempre reprovado pelo resto do mundo e pelas próximas gerações. Se um estranho invadir minha casa e eu tentar barra-lo com paus e pedras ou o que estiver ao meu alcance, e este estranho me agredir com uma arma, quem será o covarde??????????????

Anônimo disse...

judeus... usam do massacre do holocausto para justificar seus atos.

Anônimo disse...

simplesmente.... bando de retardado seguidor de ALÁ. Menos religião e mais ciência né.

Anônimo disse...

Na minha opinião qualquer um que coloca um "Deus" na frente de suas barbáries ou lutas é um imbecil,respeito, porém emito a meu pensamento,a questão não passa apenas por alguém jogar pedras ou misseis ou derrube as torres da potência que endossa os absurdos cometidos por Israel, os assentamentos são há muito uma transgressão tanto diplomática quanto humanitária, uma vez que Israel vem tomando posse de territórios que não lhe pertencem, e não me venha dizer que foi"Deus" que lhes deu este direito (BALÉLA)