Morte: um fenômeno irritante

Eberth Vêncio, Revista Bula

“Ei, dor, eu não te escuto mais. Você não me leva a nada”,
Antônio Júlio Nastácia 

“Ah, arrá, o terror vai começar! Uh, vai morrer! Uh, vai morrer!”
Gritos de guerra de torcidas organizadas de futebol 

“Morreu na contramão atrapalhando o sábado”
Chico Buarque 

“Por ser ofício invulgar, segurar em alça de caixão, conduzir inanimados definitivos para as catacumbas não deveria jamais se prestar ao regozijo de puxa-sacos e dos baba-ovos. Mas acontece. Eu sei que acontece. Dependendo da importância do defunto, seja ela patrimonial, cultural ou política — principalmente, neste último caso — os aproveitadores de acotovelam para conduzir o pobre diabo pra dentro do buraco. Se pudesse, se o coisa-ruim me acenasse o  seu tridente da escuridão da terra, eu sim os empurraria todos para o vazio da cova.

Sucedeu que o sujeito apagou aos 93 anos de idade, apesar dos cigarros de palha, da aguardente e carne de lata. Viveu pra dedéu e o povo da região garantia: era, sim, um homem de bem. Nasceu, cresceu, casou e procriou na roça, no mesmo casarão antigo em que seu pai e o pai do seu pai também nasceram, viveram e sumiram. Naquelas bandas, nunca se ouviu um só fato que o desabonasse. Ao contrário, era tido e havido como justo e correto, “apesar de namorador e aficionado pela pinga na sua mocidade”. O povão maledicente sempre cavouca, pesquisa ou inventa algum deslize no qual se arvorar para denegrir, nem que seja um pouquinho, a reputação de quem quer que seja. Maldadezinhas básicas. Coisas de ser humano.

Pois bem, acontece que o velho foi pego por uma gripe e terminou adoecendo profundamente. A moléstia evoluiu para uma pneumonia dupla (é assim que se diz vulgarmente quando a infecção atinge ambos os pulmões), que avançou para a tal infecção generalizada. Daí, vocês já sabem: o bicho pega, fica difícil escapulir da senhora da foice.

Atrasado algumas horas, acabei perdendo a hora agá, o dramático último suspiro no leito de morte. O espetáculo gasturento foi testemunhado e chorado pela esposa, com quem permaneceu casado durante quase setenta anos. Na plateia compulsória havia também as filhas. Mulheres, vocês sabem, são mais sensíveis e solidárias que os homens. Não é o que se diz? Na hora da dor, na hora do pega-pra-capá, chamem uma mulher. Pois então. Os inabaláveis senhores da prole oficiavam providências irrelevantes, como vender gado ao frigorífico, trocar os pneus da camioneta e checar os extratos bancários.”
Artigo Completo, ::Aqui::

Nenhum comentário: