Humor Criminalmente Incorreto


Matheus Pichonelli, CartaCapital

“Parecia piada, mas não era. Na semana passada, o tecladista de uma banda que acompanhava um show de stand up comedy num clube em São Paulo abandonou o palco e chamou a polícia. Estava ofendido com a referência feita por um comediante sobre a relação a Aids e o sexo entre humanos e macacos – o comediante, ao dizer que vivia comendo macacos e nunca pegou a doença, olhou para o tecladista, que é negro, e perguntou: “né?”

O show de humor proibidão – era o nome do espetáculo – acabou mal, ainda que os espectadores, logo na entrada, tivessem assinado um termo se comprometendo a não se ofender com piadas sobre negros, mulheres e deficientes. Como virou caso de polícia, a patrulha antipoliticamente correta, capitaneada pelos gênios da comédia atual, chiou, lamentando o sepultamento do bom humor.

Pois foi com bom humor que surgiu a melhor resposta aos engraçadinhos. Se é rindo que se corrigem os costumes, como ensinava Gil Vicente, um vídeo protagonizado pelo radialista e videomaker carioca Rafucko é o candidato a novo fenômeno (meme) da internet. (assista ao vídeo AQUI)

presentando-se como Danilo Alexandrino, fundador do clube KKK de “Humor Criminalmente Incorreto”, Rafucko fez até agora a melhor piada sobre o episódio para mostrar que o caso não teve graça (pelo menos não para as vítimas das piadas, ainda repetidas à exaustão em palcos de comédia, mesas de bar, almoços em família).”
Artigo Completo, ::Aqui::

Nenhum comentário: