17 setembro 2014

Charge do Bessinha


Notícias da fome: como esconder a realidade

"Sob o ponto de vista de um jornalismo comprometido com a busca objetiva dos fatos mais relevantes, essa seria a manchete: “ONU confirma sucesso na redução da fome”. Mas o que faz a mídia tradicional do Brasil? Esconde a notícia

 Luciano Martins Costa, Observatório da Imprensa

Brasil, Venezuela, Chile, Cuba e México são os países da América Latina que venceram a fome estrutural. Essa informação consta de um relatório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), que registra os avanços na luta global contra a insegurança alimentar. Cerca de 805 milhões de pessoas ainda têm que lutar por comida no dia a dia em todo o mundo, e a maioria delas se concentra em regiões afetadas por conflitos ou por condições climáticas adversas. O relatório completo, com 57 páginas em inglês, pode ser obtido no site da entidade (ver aqui). 

Os principais jornais brasileiros usam como fonte o resumo distribuído pela FAO, onde se pode ler, por exemplo, que o Brasil foi um dos primeiros países do mundo a atingir o principal objetivo de desenvolvimento do Milênio e as metas da Cúpula da Alimentação. O documento será um dos destaques da 69ª Assembleia Geral das Nações Unidas, que se realizará no dia 23 deste mês.

Luciana Genro atropela Aécio na CNBB


Altamiro Borges, Blog do Miro

"A gaúcha Luciana Genro tornou-se candidata do PSOL no bojo de uma crise interna do seu partido, a partir da inesperada desistência do senador Randolfe Rodrigues. As pesquisas sinalizam que ela não deverá ultrapassar muito a votação do falecido Plínio de Arruda Sampaio, que obteve 0,87% dos votos nas eleições de 2010. Nesta situação, a ex-deputada encontra-se mais a vontade para desfechar os seus ataques. Foi isto que ocorreu no debate organizado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) com os presidenciáveis, que varou a madrugada de quarta-feira (17). Luciana Genro protagonizou as melhores cenas do programa, nocauteando o cambaleante Aécio Neves. O tucano apanhou um bocado!

Rico que cede apê em SP a Marina fraudou gasolina


"Milionário Carlos Henrique Ribeiro do Valle, proprietário do grupo RVM, que possui postos de gasolina e a distribuidora Petronac, além de fazendas, empresta seu apartamento na Vila Nova Conceição, o bairro mais caro de São Paulo, no bairro do Ibirapuera, para a candidata do PSB se hospedar de graça; favorzinho, digamos; Valle, a Petronac e um de seus postos, o Saema Auto Posto, já foram condenados por adulteração de combustível; a distribuidora, que vive em brigas com a Petrobras para avançar no mercado de distribuição, também foi condenada por fraudar licitação em Marília, interior paulista; ligação perigosa de empresário com a estatal, e mais a questão ética de aceitar apartamento emprestado, compromete "nova politica"; furo de O Cafezinho; "A troco de que um sujeito com esse perfil emprestaria, de graça, um apartamento à Marina Silva?", questiona jornalista Miguel do Rosário

Brasil 247

Mais uma notícia constrangedora coloca em xeque a proposta de 'nova política' da candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva. Desta vez, sobre o passado do empresário Carlos Henrique Ribeiro do Valle, que empresta, sem custos, seu apartamento na Vila Nova Conceição, um dos bairros mais luxuosos e caros de São Paulo, para a presidenciável.

Filiado ao DEM, Ribeiro do Valle é também proprietário do grupo RVM, que possui vários postos de gasolina, e da distribuidora de combustível Petronac, além de fazendas em Minas, Mato Grosso e Pará. "A troco de que um sujeito com esse perfil emprestaria, de graça, um apartamento a Marina Silva?", questiona Miguel do Rosário, do blog O Cafezinho, que divulga o caso.
Segundo reportagemda Folha de S. Paulo publicada no dia 4, o apartamento de 107 m² fica no 11º andar de um prédio situado a poucas quadras do parque Ibirapuera. O empresário, de acordo com o jornal, firmou um contrato de comodato com a campanha de Eduardo Campos no dia 4 de julho para ceder o imóvel até 5 de outubro, primeiro turno das eleições, podendo ser prorrogado até o fim do segundo turno. Ribeiro do Valle disse à Folha que é "mais próximo do pessoal da Marina" do que de Campos e, segundo a assessoria da candidata, "doou" o imóvel porque tem um "amigo antigo" em comum com a presidenciável.

O site noticia que o milionário, a Petronac e um de seus postos, o Saema Auto Posto, foram condenados pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região por adulteração de combustível (veja aqui decisão em última instância). E que a distribuidora de combustíveis, que vive em briga constante com a Petrobras para avançar mais no mercado de distribuição de combustíveis, também foi acusada de fraudar licitação em Marília, cidade do interior paulista.
Sobre a aquisição e uso irregular, pela campanha do PSB, do jato Cessna que caiu em agosto, causando a morte de Eduardo Campos, Marina disse desconhecer os fatos e ilegalidades do caso. O partido alegou que os papéis importantes sobre o assunto estavam no avião e que apenas o ex-governador poderia explicar questionamentos sobre as finanças da campanha. E agora, o que a candidata dirá?"

O jornalismo das desimportâncias


Luciano Martins Costa, Observatório da Imprensa 

"Os jornais de terça-feira (16/9) consagram o princípio do novo jornalismo brasileiro: é a crônica dos acontecimentos irrelevantes. Isso quer dizer, rigorosamente, que as notícias selecionadas pelos editores das principais casas de comunicação do país não guardam uma relação direta com o valor que deveriam ter para o público.

Não se pode formular uma ideia do contexto político a partir de declarações colhidas entre as protagonistas do poder político, da mesma forma que não é possível formular uma opinião sobre a circunstância econômica com base nos fatores expostos isoladamente no noticiário sobre economia e negócios.

Fica-se sabendo, por exemplo, pelo Globo, que a apresentadora Patrícia Poeta deixa o Jornal Nacional, substituída pela colega Renata Vasconcellos, e somos apresentados ao resumo da carreira de uma e outra, como se o mensageiro fosse a mensagem. Também somos informados de que a ex-ministra Marina Silva, candidata do PSB à Presidência da República, critica o modelo de exploração do pré-sal e se queixa de ser criticada por fazer críticas. 

Dano à imagem do Itaú pode custar mais que a multa


"O casamento entre Marina Silva e Neca Setubal, herdeira do Itaú e coordenadora do programa de governo da candidata do PSB, já causa danos à imagem do banco; na internet e nas redes sociais, a instituição financeira é alvo de uma série de "memes", que questionam, inclusive, a multa de R$ 18,7 bilhões imposta pela Receita Federal, por sonegação de impostos, ao banco da família Setubal; na web, a candidata socialista já é chamada de "Marineca" e há até uma campanha para que ela seja lançada candidata à presidência do Itaú; com seu engajamento pró-Marina, banco assumiu o risco e, mesmo que vença, pode vir a ter problemas; afinal, como reagiria a opinião pública, num eventual governo Marina, a um perdão da Receita Federal ao Itaú?

Brasil 247

Dias atrás, uma gerente do Itaú Personalité, em São Paulo, recebeu uma resposta inusitada de um potencial cliente, que prospectava para sua carteira.
– Não, obrigado. Não tenho interesse em ser cliente de um banco que tenta interferir no processo político brasileiro.

A reação era decorrente do excessivo engajamento do Itaú no processo eleitoral de 2014. Uma de suas acionistas, Neca Setubal, além de coordenadora do programa de Marina Silva, doou 83% dos recursos que bancam seu instituto. Além disso, em diversas entrevistas, defendeu temas de interesse do Itaú, como a independência do Banco Central e a redução do papel de bancos públicos, como Banco do Brasil, BNDES e Caixa Econômica Federal, na economia brasileira.

Sem encontrar inimigos, PM oferece bombardeio aleatório no centro de São Paulo

repressão centro
Algumas detenções foram realizadas no centro da cidade, mas os motivos ainda são desconhecidos. (Carlos Severo/Fotos Públicas)
'Depois de conflitos com sem-teto de manhã, polícia faz demonstração de força à tarde e ataca população, mesmo sem provocação, acuando com bombas de gás e balas de borracha; redes sociais articulam reação

 Rodrigo Gomes, RBA

Após o confronto com as famílias despejadas na manhã de hoje (16), do antigo Hotel Aquarius, na avenida São João, centro da capital paulista, a Polícia Militar paulista usou bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo, além de balas de borracha, em um violento ataque para dispersar um grupo de sem-teto e de curiosos que acompanhavam a retirada dos pertences dos moradores. A coordenadora da Frente de Luta por Moradia (FLM), Silmara Congo, disse que não houve nenhuma ação dos moradores. "Não entendi por que a PM começou a atacar", afirmou.

À tarde, a RBA chegou ao local às 16h30 e já encontrou um cenário de caos, com um grupo de policiais da Tropa de Choque descendo a avenida São João, sentido Vale do Anhangabaú, em frente ao Largo do Paissandu. As pessoas corriam desesperadamente enquanto se ouviam disparos de balas de borracha e explosões de bombas de gás lacrimogêneo.

repressão centro
Gás lacrimogêneo foi usado indiscriminadamente, sem que houvesse aglomeração de manifestantes ou qualquer ação dos sem teto (Carlos Severo/Fotos Públicas)

Charge do Bessinha


Ibope: ótimo para Dilma, bom para Aécio e péssimo para Marina


Eduardo Guimarães, Blog da Cidadania

"Às 19 horas e 25 minutos (16/9) este vosso humilde servo antecipou pelo Twitter e pelo Facebook o que ocorreria na pesquisa Ibope sobre a sucessão presidencial que seria divulgada pelo Jornal Nacional uma hora depois.


Apesar da informação privilegiada, eu já intuía.

Para acabar com a velha política, Constituinte Já!

"Qual dos candidatos, dos que hoje postulam a Presidência da República, estão comprometidos com essa pauta da reforma política [pra valer] e da Constituinte exclusiva para este fim? Quais os partidos que encampam esta proposta?

Lula Miranda, Brasil 247

Hipocrisia, voluntarismo, charlatanismo e messianismo à parte, já se tem mais ou menos consolidados alguns consensos ou premissas básicas hoje, na sociedade em que convivemos, acerca da política.

Primeiro, o consenso de que o exercício pleno da política e o respeito aos partidos políticos são fundamentais numa democracia. Ou seja, não dá para reclamar e não participar, minimamente, da vida pública do país. Não dá para fazer política, encastelado num casulo de uma suposta autossuficiência, simplesmente esconjurando e maldizendo TODOS os políticos e partidos.

Essa é uma postura, embora muito não se deem conta, literalmente "idiota". Consultando a etimologia, a origem grega da palavra, "idiota" é "aquele que só vive a vida privada, que recusa a política, que diz não à política" [ver no ensaio "Política para Não Ser Idiota"].

Não dá para gozar da cidadania plena quando se é, com despropositado "orgulho", um "analfabeto político".

Em segundo lugar, sabe-se que para se acabar de fato com as práticas nefastas da velha política velhaca só mesmo melhorando/aperfeiçoando as regras e construindo um código de ética, através de uma reforma política para valer assentada em premissas básicas, consensuais e debatidas a fundo pela sociedade e pelo Parlamento.

Não será uma pessoa ou um partido, individualmente, que fará com que, num piscar de olhos, o país passe a praticar uma "nova" e virtuosa política. E que sejam sepultadas, como num passe de mágica, práticas que já estão enraizadas no nosso sistema político e do qual, inclusive, depende a existência de muitos parlamentares e partidos – práticas como, só para citar um exemplo, o "famigerado" caixa dois, por todos condenado, mas que, hipocrisia à parte, não sai de moda nunca, e é por todos utilizado.

Portanto, essas pseudo e esporádicas "escandalizações" com o "mensalão" tucano, petista ou demista, com o "escândalo" (mais um?!) das propinas na Petrobras, da "máfia do ISS" em SP ou do "trensalão" tucano, não nos levarão a lugar algum, pois, sabe-se, trata-se do velho recurso de "atacar" [para inglês ver] as consequências sem atacar as causas.

Hipocrisia à parte, sabe-se que em todos os governos e administrações, de TODOS os partidos, existem propinas sendo pagas para alimentar os caixas dois que financiam o "caciquismo", o clientelismo e o patrimonialismo, que hoje são a liga da nossa política.

Por isso, reitero, com a licença dos hipócritas e falsos moralistas: só uma reforma política para valer pode, aos poucos, mudar esse estado de coisas. E mesmo assim, faça-se a devida ressalva, será um extenuante e doloroso processo, um logo e penoso caminho.

Por fim, sabe-se que uma reforma política para valer só será possível com uma Constituinte exclusiva para tratar dessa pauta, porque os deputados eleitos segundo as velhas regras da política velhaca jamais terão interesse em mudar as regras do jogo em que estão ganhando, e que lhes propiciam alternativas e caminhos heterodoxos, ou os mais diversos descaminhos e atalhos, como se sabe.

Cabe então a pergunta: qual dos candidatos, dos que hoje postulam a Presidência da República, estão comprometidos com essa pauta da reforma política [pra valer] e da Constituinte exclusiva para este fim? Quais os partidos que encampam esta proposta?

Lutamos, em um passado recente, pelas "Diretas Já!" numa envolvente e histórica jornada cívica para que pudéssemos ter o direito de votar para presidente. Quem não se lembra? Multidões saíram às ruas por todo o Brasil reivindicando esse direito, ainda sob os rescaldos de uma ditadura. Isso já é história. Mas não podemos esquecer a nossa história, para que não caiamos nas ciladas e armadilhas da ignorância.

É, portanto, uma conquista da cidadania o fato, que hoje nos parece "corriqueiro", de votarmos para presidente da República, para governador, para deputado etc.

Em face disso, para que possamos ser coerentes e consequentes com a nossa cidadania plena, e com o necessário zelo para com essa nossa jovem democracia, devemos melhorá-la, aperfeiçoá-la.

Sem abrirmos mão das nossas responsabilidades de cidadãos; em vez de tão somente maldizer e esconjurar a Política e a democracia.

Sim, existem os maus políticos, mas não podemos nos esquecer de louvar também os bons políticos. Parlamentares como os senadores petistas Eduardo Suplicy (SP) e Jorge Vianna (Acre), ou os deputados Paulo Teixeira (SP) e Emiliano José (BA). Mas você e deve/pode citar outros nomes, de outros partidos, pois eles existem e resistem nos representando de forma digna no Parlamento.

Se você é contra a corrupção e o aparelhamento da máquina pública pelos partidos, Constituinte Já!

Se você é a favor do financiamento público das campanhas eleitorais atrelado à diminuição dos gastos de campanha e do número de partidos, Constituinte Já!

Se você é contra as oligarquias e os velhos coronéis que se eternizam no poder, Constituinte Já!

Constituinte Já! Se você quer dar o primeiro passo para construir e consolidar uma nova política de fato neste país.

[N.A.: A propósito, aproveito o tema e o ensejo para um "merchandising cultural": recomendar a leitura do livro Política para Não Ser Idiota, de Mario Sergio Cortella e Renato Janine Ribeiro. Vale a pena dar uma passada d'olhos – pode se ter acesso a um "aperitivo" por intermédio do Google mesmo]"

16 setembro 2014

Presidente do PSB se diz preocupado com economistas de Marina


Jornal GGN 

 "Depois de o ex-presidente Lula dizer que a equipe econômica de Marina Silva deveria ser "proibida de falar bobagem", agora é a vez do dirigente nacional do PSB, Roberto Amaral, mostrar insatisfação com as propostas e os especialistas que surgem na mídia quase que diariamente.

De acordo com o colunista Ilimar Franco, Amaral e os socialistas estão "inconformados com a quantidade de gurus econômicos que se apresentam como formuladores de Marina Silva. O presidente do partido resume: 'Estou preocupado com a quantidade de especialistas e consultores que a imprensa está descobrindo na nossa campanha'.

"Ele afirma que surgem nomes 'desconhecidos por nós' e 'um novo coautor do programa da Marina'. E destaca que o economista Celso Furtado, nacional desenvolvimentista, é o formulador do partido. Amaral sentencia: 'O PSB tem profunda admiração pela obra e pelo pensamento de Celso Furtado. Morto, não há substituto à altura'."

Pimentel, 43%; Pimenta, 23%. Aécio dançou!

Altamiro Borges, Blog do Miro

"O Ibope divulgou nesta terça-feira (16) uma nova rodada de pesquisa sobre a disputa para o governo de Minas Gerais. O resultado é desastroso para Aécio Neves, o cambaleante presidenciável tucano. Ele mostra que o ex-ministro Fernando Pimentel (PT) disparou na dianteira e agora tem 43% das intenções de voto. Já o candidato do PSDB, Pimenta da Veiga - acusado de ser um dos mentores do "mensalão tucano" - empacou nos 23%. Mantido este quadro, o petista pode até vencer no primeiro turno, no que seria uma das mais sentidas derrotas dos tucanos - que governam o Estado há dez anos.
.
O próprio G1, do Grupo Globo, já ascendeu o sinal de alerta. "Com o resultado, Pimentel venceria no primeiro turno se as eleições fossem hoje, já que o percentual de votos que ele alcançou é maior que a soma dos demais concorrentes. O candidato do PT subiu seis pontos percentuais em relação ao levantamento anterior, realizado pelo instituto entre 23 e 25 de agosto. O concorrente do PSDB se manteve com 23% das intenções de voto". A pesquisa do Ibope foi encomendada pela TV Globo. O instituto também fez uma simulação para o improvável segundo turno. Fernando Pimentel teria 48% dos votos, contra 26% para Pimenta da Veiga.
.
Na semana passada, durante uma carreata em Belo Horizonte, Aécio Neves esbravejou que "chegou a hora da virada". Ele ainda apelou para que os mineiros não o deixassem passar a vergonha de perder em seu próprio Estado. Alguns dos presentes devem ter dado discretas risadas - já que o tucano gasta boa parte das passagens bancadas com dinheiro público do Senado em viagens para o Rio de Janeiro."

PT de Lula x Itaú de Neca: guerra de adesivos

Ricardo Kotscho, Balaio do Kotscho

"Uma disputa paralela desta campanha presidencial já começou faz algum tempo em São Paulo e chegou ao Rio nesta segunda-feira: é a guerra dos adesivos para colocar nos carros, um adereço tradicional que, neste ano, andava meio ausente na paisagem.

"Fora Dillma. E leve o PT com você" (com dois "ll" mesmo, remetendo a Collor) é um adesivo que enfeita os carrões pretos off-road dos tucanos paulistanos, que já nos acostumamos a ver na região dos Jardins e adjacências. Com Aécio alijado da disputa, servem agora a Marina Silva, em seu embate com o PT de Dilma e Lula.


A resposta dos petistas demorou a aparecer e só foi lançada no ato em defesa da Petrobras promovido no Rio, com a participação do ex-presidente Lula e líderes sindicais.

"Fora Marina. E leve o Itaú junto" dizia o adesivo fartamente distribuído durante a manifestação, que centrou críticas na candidata do PSB, como se ela fosse contra o programa do pré-sal, a principal bandeira do PT.

Não chore, Marina. Quem tem de chorar somos nós.


Miguel do Rosário, Tijolaço  

"Depois Marina Silva vem chorar, dizendo ser vítima de “boatos e mentiras”, convocando coxinhas para desmenti-los.

Ora, desmentir o que? Seu próprio coordenador de campanha, em discurso a empresários, copia o discurso tucano sobre o pré-sal e fala que o governo Marina mudará o modelo de partilha, para entregar fatias maiores de nosso petróleo a companhias estrangeiras.

A troco de que? Em menos de oito anos, o pré-sal ja está chegando perto de 600 mil barris/ dia! Trata-se de um saldo de produtividade sem comparação em nenhum lugar do mundo.

A dívida da Petrobrás já começou a cair, naturalmente, por causa do aumento da produção de petróleo.

A dívida aumentou porque os primeiros anos do pré-sal foram anos puramente de cultivo. Nada de colheita.

Charge do Bessinha


Brasil reduz fome à metade e cumpre meta da ONU


Ana Cristina Campos, Agência Brasil

 'Cerca de 805 milhões de pessoas no mundo, uma em cada nove, sofrem de fome crônica no mundo, segundo o relatório O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo (Sofi 2014, na sigla em inglês), divulgado nesta terça-feira 16 em Roma, na Itália, pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O estudo confirmou tendência positiva observada nos últimos anos de redução da desnutrição mundialmente: o número de pessoas subnutridas diminuiu em mais de 100 milhões na última década e em mais de 200 milhões desde o período 1990-1992.

Segundo o documento, a redução da fome nos países em desenvolvimento significa que a meta dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) de diminuir à metade a proporção de pessoas subnutridas até 2015 pode ser alcançado "se apropriados e imediatos esforços forem intensificados".