Postagens

Documentos comprovam prática ilegal de empresa contratada por Bolsonaro

por Eduardo Guimarães, Blog da Cidadania -

Trocas de emails e a proposta de um contrato obtidas pela Folha confirmam a oferta de disparos em massa por WhatsApp a campanhas políticas, utilizando base de usuários de terceiros, em desacordo com a lei eleitoral.
A Croc Services formalizou proposta de R$ 8,7 milhões à campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência, usando nomes e números de celulares obtidos pela própria agência, e não pelo candidato.

A oferta de contrato da empresa, com data de 30 de julho e obtida pela Folha, cita opções diversas de disparos de mensagens por WhatsApp, com pagamento a ser feito até três dias antes da ação.

Marcelo Vitorino, coordenador da área digital da campanha deAlckmin, afirma que a campanha não comprou a opção de serviço usando base de terceiros, mas apenas com a lista de telefones de militantes e membros do PSDB e de apoiadores que forneceram dados nas redes do candidato —o que não é ilegal. Ele desembolsou R$ 495 mil pelos disparos, a R$ 0…

Ruas do país são tomadas contra o risco Bolsonaro

Eleição tem que ser anulada

Possível chanceler de Bolsonaro fala em derrubar Maduro – o que levaria o Brasil à guerra

TSE sabia e não fez nada, diz marketeiro sobre disparo de mensagens

Whatsapp faz o que TSE não fez e bloqueia (algumas) máquinas de ‘fake news’

Vox Populi: distância cai para 6 pontos

WhatsApp e o Caixa-2 de Bolsonaro

O escândalo das ‘fake news’ patrocinadas mal começou ainda

Diretor do Datafolha: salto de Bolsonaro nas pesquisas indica fraude

Democraticídio. Por Tereza Cruvinel

Renan: em 6 meses, Governo Bolsonaro faz água!

Wagner Moura apela a FHC e Ciro por união contra o fascismo