23 maio 2015

Charge do Bessinha


A cultura do ódio na internet e fora dela

Juremir Machado da Silva, Correio do Povo

"A deputada Manuela d’Ávila (PCdoB) organizou uma mesa na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul sobre ódio na internet.

O evento fez parte do Humaniza Redes.

Convidou jornalistas: eu, Moisés Mendes (Zero Hora) e Luciano Potter (Rádio Gaúcha).

O chefe de gabinete do Ministro de Estado da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência, Roberto Nascimento, nem chegou a falar.
 

Participou também o deputado Jorge Pozzobom (PSDB).

Manuela é vítima constante de ódio na rede.

Musa do impeachment serve champanhe e caviar ao próprio cachorro


Miguel do Rosário, Tijolaço

(Atenção, a notícia abaixo não é do site Sensacionalista. É verdadeira).

Essa vai para a seção de humor do blog.

Um humor sombrio, com reflexos trágicos na sociedade.

Humor negro, enfim.

Mas humor.

Róber Iturriet Avila: Dá para fazer ajuste taxando heranças e fortunas

Eles podem pagar mais?
Por um ajuste fiscal via reestruturação tributária

Estudo mostra que a criação de uma nova faixa de imposto de renda sobre o trabalho (salários acima de R$ 67 mil) e a cobrança de impostos sobre dividendos teriam impactos fiscais e sociais melhores do que as escolhas do ministro Joaquim Levy

Róber Iturriet Avila, Brasil Debate

O Brasil Debate tem abordado a relação entre a necessidade de um ajuste, a estruturação tributária brasileira e seu papel nos níveis de concentração de riqueza. Em que pesem as controvérsias acerca do nível da carga tributária no Brasil e o tamanho do Estado, há consenso entre os diversos matizes que os impostos no Brasil devem ser simplificados. Contudo, um tema mais candente é quem contribui mais ao erário.

Tucano desce a lenha em fanáticos pelo impeachment: “ignorantes políticos”


Eduardo Guimarães, Blog da Cidadania

"Xico Graziano é assessor especial do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e diretor do site Observador Político, ligado ao IFHC (Instituto Fernando Henrique Cardoso). Uma semana após a eleição presidencial do ano passado ele já começara a se estranhar com os movimentos que pedem “impeachment” de Dilma Rousseff.

Coordenador digital de Aécio Neves durante a campanha presidencial de 2014, o ex-deputado federal pelo PSDB Xico Graziano foi atacado nas redes sociais em novembro do ano passado por criticar um protesto a favor do impeachment de Dilma Rousseff.

À época, Graziano declarou que falar em impeachment contra a petista uma semana após sua vitória nas urnas era “absurdo” e “antidemocrático”. A opinião gerou polêmica e o tucano foi acusado de ser “comunista” e “petralha”.

Após os protestos antipetistas de 15 de março e 12 de abril, a pressão de movimentos como Vem Pra Rua, Movimento Brasil Livre e Revoltados On Line obrigou o PSDB, sem lá muita convicção, a encomendar um parecer ao jurista Miguel Reale Júnior sobre a viabilidade de encaminhar à Câmara dos Deputados um pedido de impeachment da presidente recém-reeleita."
Matéria Completa, ::Aqui::

Bancos nem têm coragem de chiar


"Ao contrário das empresas produtivas, os bancos tiveram grandes lucros no primeiro trimestre

Tereza Cruvinel, Blog: Tereza Cruvinel 

Finalmente os bancos levam um pequeno beliscão e vão contribuir com o ajuste fiscal que até agora penalizou apenas os trabalhadores e as empresas produtivas. Com a elevação de 15% para 20% a Contribuição sobre o Lucro Líquido, medida publicada hoje pelo Governo, o setor bancário como um todo contribuirá com algo em torno de R$ 4 bilhões.

Com as restrições que afetam os trabalhadores o governo pretendeu uma economia de R$ 18 bilhões mas as mudanças impostas pela Câmara já causaram uma redução de seis a oito bilhões de reais nesta projeção.

Com a medida ainda não votada que reduz o alívio na folha de pagamento, concedido a 56 setores econômicos no primeiro governo Dilma, os cinco bilhões de reais pretendidos devem cair para quatro.

Globo perdeu 35% de ibope aos domingos de 2005 para cá


Do uol

"Durante décadas a Globo se mantém líder isolada em audiência em todos os dias da semana, em todas as faixas horárias. No domingo, em especial, o dia mais caro para os anunciantes, a emissora sempre se deu ao luxo de não apenas liderar, mas também de registrar, sozinha, mais ibope que a segunda e terceira colocadas somadas (SBT e Record). Esse tempo acabou.

22 maio 2015

Charge do Bessinha


Quem se atreverá a dar um 'rolezinho' no shopping de Eduardo Cunha?


"Os planos da Câmara de transformar sua sede em shopping center exacerbam a já promíscua proximidade entre a política e o poder econômico. 

Najla Passos, Carta Maior

Parte do pacote de ajuste fiscal do governo, a Medida Provisória 668/15, aprovada nesta semana pelos deputados não apenas aumenta a tributação dos produtos estrangeiros, mas permite que o legislativo, tal como já o faz o executivo, passe a celebrar parcerias público-privadas, as polêmicas PPPs que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, quer usar para transformar a chamada “casa do povo” em um megaempreendimento empresarial: uma espécie de shopping center explorado pelo setor privado, com lojas, restaurantes e estacionamento pago.

Sonegação dos ricos rouba 200 bi em cinco meses


"Valor supera todos os escândalos de corrupção mais conhecidos e ultrapassa até o que seria necessário para o ajuste fiscal em discussão no Congresso. 

Antonio Lassance, Carta Maior

Número estará estampado pelos painéis do Sonegômetro espalhados pelo País. Valor supera todos os escândalos de corrupção mais conhecidos e ultrapassa até o que seria necessário para o ajuste fiscal em discussão no Congresso (R$80 bi).

Situação causou revolta em servidores do Ministério da Fazenda. Procuradores acusam:

“Estamos diante de uma batalha bastante desigual, onde um único Procurador da Fazenda Nacional, sem carreira de apoio, atua em processos complexos envolvendo grandes devedores, normalmente defendidos pelas maiores bancas de advogados do país.”

De esperança dos paneleiros a ‘arregão’, o fim do governo paralelo de Aécio Neves

Com os líderes do Vem Pra Rua no Congresso
Kiko Nogueira, DCM

Terminou de forma melancólica o governo paralelo de Aécio Neves. De grande esperança branca da oposição a “arregão”, foram cinco meses de fortes emoções.

Numa eleição apertada, Aécio tentou cavou seu espaço na agenda nacional na marra. Sua cavalgada teve início com a não aceitação do resultado. Em sua volta ao Senado, em janeiro, Magno Malta, do Espírito Santo, uma das figuras mais grotescas de um Congresso grotesco, saudou-o num aparte sabujo: “Vossa Excelência recebeu um livramento”.

Ciro: “Brasília está dominada por uma coalizão de gatunos”


"Ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes voltou a desferir críticas sobre os políticos e declarou que Brasília, com exceção da presidente Dilma, "que é honrada e tem espírito público", está "dominada por uma coalizão de gatunos e incompetentes"; no Congresso, disse ele, há "ladrões convocando CPIs e bandidos acusando gente séria de ser bandido"; segundo Ciro, "qualquer bodega tem um projeto no Ceará, mas o Brasil não tem projeto" para retomar o crescimento

Brasil 247

O ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes voltou a desferir críticas sobre os políticos com declarações polêmicas nesta sexta-feira 22, durante sua participação na 3ª edição do Fórum Brasil, promovido pela revista CartaCapital em São Paulo.

Demissões na Veja já atingiram 49 jornalistas


Portal dos Jornalistas

"Nas várias reestruturações efetivadas pela Editora Abril nos últimos dez ou 20 anos, um único núcleo da empresa manteve-se praticamente intacto e imune às crises de qualquer natureza: a revista Veja, menina dos olhos de Roberto Civita, que nunca deixou chegar à publicação cortes mais profundos. Com a morte dele e o agravamento da crise do mercado editorial, particularmente no segmento de revistas, essa blindagem perdeu vigor e a revista, após anos de uma certa segurança, sofreu este ano cortes importantes, como o anunciado semanas atrás, com várias demissões e o fechamento das Vejinhas BH e DF.

Charge do Bessinha


Pedido de impeachment de Richa chega à Assembleia


Conceição Lemes,  Viomundo

"Tarso Cabral Violin é advogado, professor universitário, autor do Blog do Tarso e presidente da Associação dos Blogueiros e Ativistas Digitais do Paraná – ParanáBlogs.

Ele foi um dos mais de 200 feridos (392, segundo a APP-Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná) no Massacre do Centro Cívico de Curitiba, em 29 de abril de 2015.

Desde então, Tarso passou a refletir sobre o pedido de impeachment do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB).

A falta de política cobra seu preço na imagem do Governo Dilma


Fernando Brito, Tijolaço 

"Anunciam os jornais que o governo acertou um acordo para eliminar o corte do abono salarial para quem tenha menos de 90 dias trabalhados por ano, aceitar o marco dos 65/95 para o fator previdenciário e que, ainda, vai aumentar a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido dos Bancos, como se apontou indispensável, ontem cedo, aqui.

É um momento para refletir que, embora sejam compreensíveis as dificuldades fiscais do Governo e, sobretudo, o clima de chantagem e insanidade que se se apossou do Legislativo, há um erro essencial que se reflete sobre a imagem do Governo Dilma, que vai além do fato de não ter feito, com moderação, aquilo que agora se torna duríssimo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja!

Postagens populares